Cadeirinha no Céu


Gente, este post do Juliano, veio ao encontro de algo que eu pensava. Tolerância (ou misericódia, como preferir) sem justiça é libertinagem; passaporte pro inferno. Justiça sem misericórdia se torna algo maléfico que exclui todos. Pois com certeza, ninguém consegue cumprir toda lei humana. A divina, então...

Algo que sempre me incomodou em muitas igrejas é a diferença de tratamento entre o rico e o pobre. E o pior é a desculpa dada: Não posso perder o dízimo do Dr. Fulano. Paga quase todas as contas da Igreja...
Se é assim gente... Acorda! O pr. não pode perder o dízimo do dr., mas não se preocupa de que, deste jeito, o dr. vai passar a eternidade no Inferno!!!! Estamos voltando à Idade Média quando se vendia cadeirinha no Céu!!!!
Por que eu digo isto? Simples. Se o dr. paga as contas; o pr. cede o púlpito, o dr. fica se achando (achando q é semi-deus; que a igreja é uma extensão do seu consultório, do seu escritório, da sua empresa; que manda; que sabe tudo...); então, num dado momento, ele vai acabar magoando alguém, dando mal testemunho... E não vai ser corrigido, não vai ser disciplinado, não vai ser ensinado... Não vai aprender a amar, a servir, a pedir perdão e a ser perdoado... E se não pede perdão, não é perdoado...

Pergunto: Quem não tem seus pecados perdoados, vai pra onde???
De que vale manter o dízimo e perder a alma que lhe foi confiada?

Sabe, assim muitos pastores se comportam como os fariseus da época de Jesus: não entram e não deixam ninguém entrar.
O caminho fica estreito demais para os pobres, e ninguém consegue passar.
Para os ricos, fica mais largo que o Eixo Monumental em Brasília (6 pistas de cada lado) e a Nueve de Julio na Argentina (5 pistas de cada lado) juntos.
Só que nosso Mestre nos ensinou que existia dois caminhos: um estreito que levava à salvação; e outro largo que levava à condenação.
Se o caminho se torna largo para alguém, qual será o seu destino?
Só que o dr. acha que está tudo bem, afinal, ele está pagando rigorosamente as parcelas para adquirir uma cadeirinha no Céu. E às vezes, ainda leva de lambuja um tempo para espalhar bobagens em cima de um púlpito (para o suplício de quem tem que ouvir...). Então ele não desconfia de nada. Afinal, fizeram com que ele pensasse que é quase a quarta pessoa trindade de tão santarrão que se tornou.

Me resta, então, uma última pergunta: será que estes ditos pastores poderão ser processados por propaganda enganosa?

Cristãos equivocados e cheios de razão, uma ameaça ao bem estar e ao sucesso da Igreja

Prosperismo X Vida Abundante

Num outro post com a mesma temática, falei das pessoas que colocam a realização pessoal desmedida acima da vontade de Deus. Aqui quero falar sobre quem, é sob muitos aspectos, o principal culpado por essas posturas.

Em linhas gerais é o pecado, o sistema, o diabo. Sim, como todos os problemas da humanidade. Mas essa postura errada (que eu chamo de "prosperismo", no sentido de igualar a outros "ismos" destrutivos, e para contrastar com a prosperidade positiva e bíblica), tem brotado e se proliferado dentro e a partir da Igreja. E os principais apologistas do prosperismo tem sido os pastores evangélicos neo-pentecostais e os padres católicos carismáticos.

Pregando do alto de púlpitos magnificados no estado-da-arte, em catedrais luxuosas que oprimem o pobre - que se sente minúsculo e indigno de estar ali - e que após as reuniões não tem o mínimo contato com seu povo, se comportando exatamente como os imperadores romanos faziam na Arena, a única coisa que lhes falta são os polegares ao alto ou abaixo. Pois bem, vamos dissecar o que os Neros e Calígulas estão fazendo em seus Coliseus modernos.

Auto Promoção - Em primeiro lugar vem minha denominação, o resto é o resto! As pessoas que forem dar testemunhos sobre as coisas que aconteceram em suas vidas devem ressaltar que as coisas aconteceram "quando vim para a igreja Tal-e-tal, e se não fosse por isso eu já era!" Seus líderes se preocupam em deixar claro que não existe alternativa fora da sua cerquinha branca e chegam a pescar adeptos nos aquários alheios, sempre afirmando que sua grama é mais verde e que seu pasto não tem ervas daninhas nem macegas.

Marketing de Pirâmides - Através de um sistema corrompido de evangelismo, eles fazem com que os membros se multipliquem como vendedores das redes que usam marketing de pirâmide, muitas vezes até "premiando" os membros que conseguem "evangelizar" mais pessoas.

Hipnose coletiva e técnicas de manipulação de massas - Ambientes cuidadosamente elaborados com cores, sons e luzes que produzem na plateia a resposta exata aos estímulos dos líderes, cenário idêntico ao utilizado por grandes ilusionistas como David Copperfield e, atualmente Chris Angel.

A ganância tem levado a igreja por caminhos de morte e nós temos morrido no caminho sem estarmos nem percebendo.

1 Timóteo 6:10 Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

Vamos ficar só olhando enquanto isso acontece debaixo dos nossos narizes?

Juliano Leal - MRM/MARP

NÃO SOU EVANGÉLICO

Não, você não leu errado. Essa posição já é real na minha vida há bastante tempo. Mas em vista de alguns acontecimentos recentes, que você pode acompanhar pelos acordes dissonantes, e pela mídia em geral, resolvi expor essa posição mais detalhadamente.
Antes que você pergunte, também não sou católico. Sou apenas cristão. Tão somente cristão e mais nada.
Creio na Bíblia e no Espírito Santo de Deus para me guiar através da Bíblia. Não acredito em doutrinas humanas com base bíblica, mas apenas em doutrinas bíblicas com objetivo de salvar a humanidade.
Não reconheço como cristãs as igrejas, templos, convenções e instituições que fazem uso dos mais estapafúrdios subterfúgios para conseguir dinheiro.
Tampouco reconheço aquelas que se utilizam de metodologias estranhas à Palavra para atrair fiéis aos seus arraiais.
Desprezo as organizações que menosprezam as mulheres e as rebaixam a um plano inferior de vida na sociedade, expondo-as a algo que está totalmente fora do plano de Deus, fazendo-as usar roupas ridículas e adquirir hábitos pouco sanitários.
Desprezo as organizações que se valem de mandingas, amuletos, objetos emprestados do ocultismo e rituais fundamentados no paganismo, cujo único objetivo é aumentar seus números e nunca salvar e transformar vidas, como Jesus faria.
Desprezo as organizações que selecionam quem pode e quem não pode entrar em seus templos apoiados em critérios duvidosos de origem racial e opção sexual.
E tenho verdadeira repulsa pelas igrejas que se posicionam entre Deus e as pessoas como único caminho de salvação, se julgando maiores que o próprio Jesus.

Quero deixar bem claro também que os kardecistas também se consideram evangélicos. Do mesmo modo, as Testemunhas de Jeová se consideram cristãs. Bem como os mórmons, apesar de crerem num outro evangelho exatamente da forma que o Ap. Paulo recomendou que não fosse.

Também existe entre os "evangélicos" a mania antibíblica de pedir ofertas. Se isso é novidade pra você, surpreenda-se. A Bíblia manda DAR oferta e DAR dízimos, mas em lugar algum ela manda PEDIR. Muito menos manda FAZER PROMESSAS AO POVO POR ELES TEREM DADO ALGUMA OFERTA, DÍZIMO OU CONTRIBUIÇÃO. Uma passagem bem deturpada é a construção do Templo de Salomão. Deus mandou buscar as ofertas do povo, e os oportunistas se valem disso para pedir ofertas, porém Deus só mandou buscar aquilo que antes havia ordenado que fosse doado. Quem pediu (como sempre) foi Deus e não as pessoas.
Desde os primórdios, Deus pediu ofertas. No início elas eram animais sacrificados. Na oferta sempre havia um ato de adoração. Toda a oferta é uma aliança com Deus. Hoje se vende a ideia de que a oferta é um contrato comercial, onde você paga por um serviço que Deus vai executar. Isso não passa de feitiçaria!
Uma aliança é como um casamento, onde ambos firmam um compromisso que envolve direitos e deveres. Ele faz mas você também faz. Todo o dinheiro que você puder dar sempre será pouco pra pagar o sangue derramado na cruz, o sangue da nova aliança! Você simplesmente não pode pagar por algo que Deus vai fazer. A parte dele não tem preço! Para igualar apenas a atitude de Jesus você vai precisar morrer por ele! Afinal de contas, foi isso que ele fez por você!

Uma criança que mama não pede nada além daquilo que precisa e tem tudo isso e mais um pouco. Depois de crescer e começar a cobiçar o mundo ao seu redor é que começa a ouvir "não". Se ela continuasse confiando nos pais ao invés de querer decidir tudo sozinha, a chance de ouvir um sim aumentaria consideravelmente. Assim é com os pedintes evangélicos, que não param de mendigar as bolotas dos porcos podendo comer na mesa do Pai.
Agora, pergunte se estão dispostos a se submeter às regras e aos termos da Casa do Pai. Quase sempre não! São tão auto-suficientes que criaram suas próprias regras em suas próprias casas! E por ignorarem, desprezarem, achincalharem e blasfemarem contra as leis de Deus, hoje sua conduta, e tudo que lhes diz respeito é declarado ilegal no mundo espiritual. E TUDO QUE É ILEGAL PERTENCE AO INIMIGO E AOS SEUS DEMÔNIOS.

A fileira daqueles que pegaram o caminho largo e caminham para a perdição só aumenta nessa dança macabra que o Brasil conhece genericamente como "Igreja Evangélica". Pois voltaram ao vômito católico medieval de vender bençãos e manipular pessoas.

Mas essa é a vida, se você quer levar uma vida podre, não se queixe desses abutres ao seu redor. Mas se os abutres vierem pro meu lado, a funda está a postos e a aljava carregada. E aí, ai deles!

Juliano Leal - MRM/MARP

Porque algumas igrejas tem medo do Harry Potter



Comecei a observar o comportamento de certos líderes e ministros diante dos livros e filmes da J.K. Rowling e percebi algo estarrecedor:
Enquanto uns estão realmente querendo preservar suas crianças de uma superexposição desnecessária ao mundo da bruxaria, outros tem um motivo bem mais pífio e cafajeste: rabo preso!
Ao assistirem os filmes ou lerem os livros, as crianças e jovens de algumas igrejas estão percebendo que sua comunidade (e até a denominação inteira) são iguais a Hogwarts - e que seus líderes são réplicas fiéis dos Aliados de Lord Voldemort, os Comensais da Morte.

Tenho visto que vários pastores são dignos de irem para a prisão de Azkaban, pois são piores que os bruxos e os dementadores do filme. Aliás, eu já convivi com pastores e líderes que costumam dementar suas ovelhas, sugando toda a felicidade delas, até vê-las morrer de tristeza e depressão.

E é obvio que eles não querem que essa associação de imagem aconteça! Eles não querem que suas ovelhas descubram que eles usam "magia branca"! Não querem que elas identifiquem as mandingas e as supertições que vieram direto do Paganismo Greco-Romano.
Eles também não querem que os jovens vejam que eles comemoram várias festas não-bíblicas exatamente como prescreve o ritual bruxo. Que várias tradições do mundo bruxo ilustrado em Harry Potter, são parte essencial da liturgia deles.

E porque eles fazem isso? Simples, eles não são "trouxas". Eles dominam as artes mágicas que insistem em chamar de tradição. E acredito que muitos deles tem ciúme dos bruxos por poderem praticar sua magia abertamente sem o disfarce gospel.
E eu não estou falando de satanistas infiltrados dentro das igrejas para destruí-las, como tem sido alardeado ultimamente. Até porque, se os "satanistas" fazem realmente isso, me pergunto seriamente se eles tem necessidade de empenhar um esforço tão grande desses em lugares que já conseguem se detonar sem eles e que são mais diabólicos que muitos lugares "do mal".

Sim, caro leitor, os jovens, adolescentes e crianças estão descortinando um mundo novo através das páginas e das cenas de Harry Potter. E não é o da magia de Hogwarts. É o da hipocrisia da igreja. E não adianta dizer que os vilões foram magistralmente esculpidos para se assemelharem aos líderes cristãos porque isso é uma falácia. Pra vexame geral da cristandade, os valores éticos e morais da história dos bruxinhos vieram direto da Bíblia, que é inclusive citada e praticada na trama. Ah, só pra constar, Harry Potter foi até banido de vários países islâmicos por ser "demasiadamente cristão".
O que farão os nossos estimados líderes quando perceberem que aqueles que eles mais atacam são mais limpos em termos morais do que eles próprios? Sem esticar muito para outro lado: é o mesmo motivo que desabona muitos líderes cristãos, principalmente evangélicos, de criticarem ou denunciarem os políticos corruptos, quando fazem a mesma coisa.

É comum um escritor se utilizar de conceitos e linguagens distantes da sua cultura, do seu meio, para enriquecer o enredo e trazer uma amplitude, uma abrangência maior, um outro ponto de vista ao que está escrevendo. Falar de órfãos, de bruxaria e de criaturas mágicas na Inglaterra é tão lugar comum quanto falar de favela, futebol e carnaval no Brasil. Qualquer brasileiro sabe o que é um drible, sabe diferenciar uma cuíca de um pandeiro. Eles lá, sabem diferenciar uma varinha mágica de um outro galho qualquer. Eles estão habituados a perguntar "quem vem para a reunião de pais" ao invés de "seu pai vem à reunião", pois depois das guerras, se tornou normal não ter pais na Europa. Buscar elementos bíblicos e fazer os personagens falarem suas conjurações em latim, trazia uma nova cultura pra eles.

Em alguns lugares eu até acredito que houve um resgate do sincretismo católico já disseminado na Europa Medieval. Um dos ramos mais fortes da Wicca, cultua a Deusa-Mãe em todas as suas variantes, nuances e detalhes. O culto à virgem Maria é idêntico a esse rito, sendo inclusive aceito em muitos covens da Wicca que os praticantes se dirijam à Deusa como Maria, enquanto outros a chamam de Diana, Ísis, Ishtar, Gaia, Mãe Lua ou Lilith. O "cristianismo" que os druidas conheceram era esse: que batia no liquidificador e engolia as crenças dos povos locais e os deixava em paz se eles usassem uma terminologia cristã e parassem com os rituais que a "igreja" considerava "estranhos". E quando eles não paravam, eram queimados vivos pela Inquisição.
Os valores originais da Bíblia são novidade para esse povo, pois quando o cristianismo chegou na Europa oceânica, já era uma bagunça made in Roma. E não me venha com história de avivamento inglês e essas coisas. Se tivesse sido suficiente, não estaríamos com a coisa nesse pé. Os frutos que estamos vendo mostram que a raiz da árvore nunca mudou.

E a igreja, por sua vez, continua matando praga com petelecos. E não me entenda mal, por praga me refiro à mistura de crenças que descaracteriza ambas. E só favorece os espertalhões que querem levar vantagem. A planta está morrendo e nós estamos colocando paliativos. Pra variar, estamos escondendo o problema verdadeiro debaixo da nossa camuflagem religiosa. Mas essa capa de invisibilidade é de camelô, não vai funcionar pra sempre. Deus tem levantado pessoas que estão dispostas a viver uma vida sem hipocrisia, sem falsidade, sem subterfúgios. Que conhecem e vivenciam as características de uma vida abundante. Cuja fé e esperança não estão nos ritos ou nas tradições, mas na Verdade e na Eficácia da Palavra.
As máscaras estão caindo. Os que fizerem sua escolha, seja qual for, e forem autênticos, honestos, terão mais sucesso do que os hipócritas, pois vai chegar a hora de prestar contas. Seja aqui ou no Grande Dia.

Fica aqui uma frase do mago diretor de Hogwarts, Alvo Dumbledore:

"Vai chegar a hora em que teremos que escolher entre o que é certo e o que é fácil."

E uma que um cristão deveria conhecer:

"Onde estiver o cadáver, ali se ajuntarão os abutres."

Quem lê, entenda.

Juliano G. Leal
MRM/MARP

Coisas que aprendi na igreja - Parte VII

É impressionante a quantidade de pessoas que (em certas denominações) afirmam que ouvem e proclamam a vontade de Deus para os demais. Como sempre destaco, essa série tem por objetivo refletir avaliando o passado e corrigir nossos erros para termos um presente e um futuro melhor.

Hoje vou falar sobre os falsos profetas.

Durante um culto maravilhoso, enquanto soavam cânticos que convidavam o povo ao arrependimento e ao quebrantamento, e muitas pessoas se dirigiam ao altar para se sentirem mais próximas de Deus  e também para receberem orações dos líderes por suas necessidades, um homem começou a avançar entre os líderes para também orar pelas pessoas.

À medida em que ele se movia entre o povo, cuja maioria encontrava-se de joelhos, percebia-se que ele não estava orando pelas pessoas, mas sim dizendo coisas para elas. Segundo ele, mensagens de Deus.

O homem se aproximou de um jovem que estava prostrado mais a frente, próximo dos degraus do altar. Estendeu a mão sobre a cabeça do rapaz e disse:

"-Filho meu, assim te diz o Senhor..."

Antes que ele pudesse dizer o que o "senhor" dizia, o rapaz o interrompeu e disse para que ele retirasse a mão da sua cabeça. O homem se espantou. O rapaz permaneceu incólume. Fechou a cara e disse que não queria que o homem tocasse a sua cabeça. Eu acho que o homem não deveria ter feito o que fez depois, pois perguntou ao rapaz o motivo daquela reação.

O rapaz o respondeu prontamente dizendo uma lista de situações e problemas que o impediriam de estar naquela "função". Mantendo a voz baixa mas o semblante sério e irredutível, o rapaz disse que o homem deveria voltar ao seu lugar.

Imediatamente após o homem sair, vários ministros começaram a circular entre as pessoas orando contra as profetadas que o homem havia entregue. Pessoas que tinham a visão aberta testemunharam que enquanto os ministros oravam contra as profetadas do homem, grandes manchas pretas e gosmentas se desgrudavam das pessoas.

Confrontado sobre o ocorrido, o homem criou uma série de justificativas incoerentes (também conhecidas como desculpas esfarrapadas) para o que havia feito. Como nenhuma delas surtiu efeito, muito indignado, o homem resolveu deixar a igreja e ir para outra.

Infelizmente, a igreja que o recebeu criticou a atitude dos ministros e da igreja anterior. E lhe deram pleno transito na igreja e nos ministérios. Seis meses depois os estragos eram visíveis por todo o lado. E ele continuava "profetizando".

Para completar, após sair da segunda igreja, foi para uma terceira que era daquelas cheias de gente crédula e ávida por coisas sobrenaturais. Foi o lugar onde ele se uniu a um político e profetizou que o mesmo ganharia a eleição. Essa foi a única profecia dele que se cumpriu, e o cargo de confiança que ele ganhou depois também foi bem "profético".

Na igreja eu aprendi que quem faz uma falcatrua, faz qualquer uma. E que esses espertalhões nunca trabalham sozinhos por muito tempo, mas sempre arranjam um comparsa.

Entretanto, os verdadeiros profetas do Senhor estão se levantando. E na hora do acerto de contas eu pergunto: O que é que Deus dirá dessas pessoas.

Aconselho que eles procurem um dentista, e façam uma revisão generosa, para que seu sorriso esteja apto para ir para o lugar onde haverá choro e ranger de dentes...

Juliano Leal - MRM/MARP

Leia toda a série!



Related Posts with Thumbnails