Você é uma ovelha?

Shaun, O Carneiro é um desenho animado em stop motion apresentado no Brasil pela TV Cultura. Ele retrata as aventuras de uma turma de ovelhas numa fazenda e sua interatividade com os outros bichos, com o cão pastor Bitzer e com o Fazendeiro.
Assista o episódio abaixo:

video


O que mais me impressiona no desenho é o fato das ovelhas, tipicamente famosas por sua placidez e tranquilidade, serem tão perspicazes, e as vezes até cretinas.
Não tive como não pensar em outro "rebanho" com o qual estou bem mais familiarizado: os cristãos, principalmente os assíduos frequentadores de culto, os fãs da igreja e dos seus ministérios.
Se você assistir a série animada na TV pensando no comportamento dos crentes dentro das nossas igrejas, vai reconhecer vários tipos, desde o próprio Shaun, um líder sem título mas que com carisma e sagacidade consegue levar todos com ele, inclusive os líderes dele: uma ovelha gorda que só faz o que quer e vive dando trabalho para todos; a mamãe super-protetora com o respectivo filhote encrenqueiro; enfim, ovelhas feitas de massinha à nossa imagem e semelhança.
É um desenho pra toda a família, mas eu recomendo com veemência que seja assistido pelos nossos filhos, pois acredite, eles vão chegar nas igrejas melhor preparados para enfrentar o que os aguarda...
Sem contar que é um desenho bem ameno e sem nenhum tipo de violência. Reflita e divirta-se!

Abraço,

Juliano G. Leal - MRM/MARP

8° Dia O Amor não arde em ciúmes

Pois o amor é tão forte quanto à morte, e o ciúme é tão inflexível quanto à sepultura. Suas brasas são fogo ardente, são labaredas do Senhor. - Cantares de Salomão 8:6

O ciúme é um dos impulsos mais fortes do ser humano. Ele vem da raiz da palavra zelo e significa "Queimar com um fogo intenso". As Escrituras sutilmente dizem,

"O rancor é cruel e a fúria é destruidora, mas quem consegue suportar a inveja? (Provérbios 27:4)

Na verdade, existem duas formas de ciúme: o ciúme legítimo, baseado no amor, e o ilegítimo, baseado na inveja. O ciúme legítimo aparece quando alguém que você ama, que pertence a você, desvia o coração e lhe substitui por outra pessoa. Se a mulher tem um caso amoroso e se entrega a outra pessoa, seu esposo tem um ciúme justificado por causa do amor que ele tem por ela. Ele está ansioso para ter de volta o que é seu por direito.
A Bíblia descreve Deus como tendo esse tipo de ciúme justo pelo Seu povo. Isso não quer dizer que Ele tem inveja de nós, desejando ter o que temos (mesmo porque Ele já possui tudo).
Quer dizer que Ele sente saudade de nós, desejando que Ele seja nosso primeiro amor. Ele não
quer que deixemos que outras coisas venham antes d’Ele em nosso coração. A Bíblia nos adverte
a adorar somente a Deus, porque

"o Senhor, seu Deus, é zeloso; é fogo consumidor." (Deuteronômio 4:24).

Com isso em mente, tiramos o nosso foco do tipo de ciúme ilegítimo, o que se opõe ao amor;
aquele que tem origem no egoísmo, onde ter ciúme de alguém é o mesmo que ser "movido com
inveja."
Você luta contra o ciúme? Sua amiga é mais popular e você sente ódio dela por isso. Seu colega de trabalho ganha uma promoção e você não consegue dormir à noite. Ele deve ter feito tudo errado, mas você se tornou amargurado por causa do seu sucesso. Dizem que as pessoas ficam felizes com nosso sucesso, desde que não seja maior do que o delas. O ciúme é uma luta comum. Ele é ativado quando alguém "passa a sua frente" e consegue algo que você quer. Isso pode ser muito doloroso dependendo do seu nível de egoísmo. Em lugar de parabenizá-lo, você se enche de raiva e pensa maldades a respeito dele. Se não tomarmos cuidado, o ciúme rastejará como uma cobra em nosso coração e acabará com as nossas motivações e com os nosso relacionamentos. Ele pode nos envenenar a não viver a vida que o Senhor deseja.
Se não acabarmos com a nossa raiva aprendendo a amar os outros, provavelmente
conspiraremos contra eles. A Bíblia diz que a inveja nos leva a confusão, a briga e a toda espécie
de males (Tiago 3:16, 4:1-2).
Existe uma seqüência de ciúmes ilegítimos nas Escrituras. Ele causou o primeiro assassinato
quando Caim desprezou a aceitação de Deus à oferta do seu irmão. Sara mandou sua criada
embora porque Hagar podia gerar filhos, enquanto ela não. Os irmãos de José viram que ele era o preferido de seu pai, então eles o jogaram em um poço e o venderam como escravo. Jesus
foi mais amoroso, poderoso e popular que o principal dos sacerdotes, então eles tramaram Sua
traição e crucificação.
Na maioria das vezes, não temos inveja de estranhos. Aqueles por quem sentimos ciúmes
estão, primeiramente, na mesma esfera que nós. Eles trabalham em nosso escritório, jogam em
nosso time, estão em nosso círculo de amizade... Ou moram em nossa casa. Sim, se não
vigiarmos, a inveja pode, também, contagiar nosso casamento.
Quando você se casou, assumiu o papel de maior torcedor e de capitão do fã clube do seu
cônjuge. Vocês se tornaram um e compartilharam da alegria um do outro. Mas, se o egoísmo
entrar, qualquer coisa boa que aconteça com apenas um de vocês pode ser um estimulante para a inveja ao invés da parabenização.
Ele pode estar jogando golfe no final de semana, enquanto ela está limpando a casa. Ele se sente o máximo por conseguir um bom placar, e ela sente vontade de atirar nele.
Ou, talvez, ela é constantemente convidada para sair com as amigas enquanto ele fica em
casa com o cachorro. Se ele não vigiar, ele pode se ofender com a popularidade dela.
Em virtude do amor não ser ciumento e sim colocar os outros à sua frente, ele se recusa a
permitir que o ciúme entre. O amor lhe conduz a celebrar o sucesso do seu cônjuge ao invés de
se ressentir dele. Um esposo amoroso não se importa se a sua esposa for melhor em algumas
coisas, se divertir mais, ou ganhar mais aplausos. Ele a vê como um complemento dele, não
como uma concorrente.
Quando ele recebe louvor, ele a agradece publicamente pelo suporte em ajudá-lo em seu
sucesso. Ele se recusa a vangloriar-se de forma que ela se sinta ressentida.
Uma esposa amorosa será a primeira a se alegrar pelo marido quando ele vencer. Ela não
compara suas fraquezas com as forças dele. Em lugar de se lamentar, ela dá uma festa de
celebração.
É hora de deixar o amor, a humildade e a gratidão destruir todo o ciúme que nasce em seu
coração. É hora de deixar o sucesso de seu cônjuge unir vocês e lhe proporcionar grandes
oportunidades de mostrar amor genuíno.

» Desafio de hoje »
Decida ser o maior fã do seu cônjuge, e decida rejeitar qualquer pensamento invejoso. Para ajudá-lo a manter o coração em seu cônjuge e a focar nas conquistas dele, pegue a lista de atributos negativos que você fez ontem e, discretamente, queime-a. Depois, compartilhe com seu cônjuge o quanto você está feliz com o sucesso que ele conquistou recentemente.

Trecho do livro Desafio de amar.
Editora Palavra da fé
--
Geibson Lehugeur - MRM/MARP

7° Dia O Amor acredita sempre no melhor

[O amor] tudo crê, tudo espera. - 1 Coríntios 13:7

Nos corredores profundos e secretos do nosso coração, existe uma sala. Ela é chamada de Sala da Admiração. É para esta sala que vão os seus pensamentos quando você se depara com coisas positivas e encorajadoras a respeito do seu cônjuge. E com freqüência, você gosta de visitar esse lugar especial. Nas paredes estão escritas palavras gentis e frases que descrevem bons atributos do seu esposo ou da sua esposa. Elas incluem características como "honestidade" e "inteligência", ou frases como "trabalho diligente", "comida maravilhosa" ou "olhos bonitos". São coisas que você descobriu sobre seu marido ou sobre sua esposa que ficaram gravadas em sua memória.
Quando você pensa nessas coisas, a admiração que você tem pelo seu cônjuge começa a aumentar. De fato, quanto mais tempo você passa meditando nesses atributos positivos, mais grato você é pelo seu marido ou esposa.
A maioria das coisas da Sala da Admiração foi escrita nas fases iniciais do seu relacionamento. Você as resumiria nos aspectos que gostava e respeitava em seu (sua) amado
(a). Elas eram verdadeiras, honrosas e boas. E você passou um bom tempo habitando com elas nesta sala... Antes de se casar. Mas, você deve ter notado que não visita essa
sala especial com tanta freqüência como fazia no passado. Isso acontece porque existe outra sala competindo com esta.
Mais adiante, outro corredor do seu coração leva à Sala da Depreciação e, infelizmente, você visita esta sala também. Nas paredes deste cômodo está escrito aquilo que seu cônjuge faz que lhe deixa chateado e irritado. Essas palavras foram escritas lá como resultado de frustrações, sentimentos feridos e expectativas não correspondidas.
Esta sala tem ligação com as fraquezas e falhas do seu marido ou esposa. Seus péssimos hábitos, palavras grosseiras e decisões erradas estão escritas em letras grandes que cobrem as paredes de um lado a outro. Se você permanecer por muito tempo neste cômodo, certamente ficará depressivo e pensará coisas do tipo, “Minha esposa é tão egoísta", ou "Meu marido é um imbecil", ou talvez, ''Acho que casei com a pessoa errada".
Algumas pessoas escrevem coisas detestáveis nesta sala, onde censuras são ensaiadas para serem usadas como argumento na próxima briga. Ferimentos emocionais se inflamam aqui
fazendo crescer as observações negativas nas paredes. É aqui que as munições são preparadas para a próxima luta e a amargura é espalhada como doença. As pessoas param de amar aqui.
Mas saiba de uma coisa: gastar tempo na Sala da Depreciação destrói casamentos. Os divórcios nascem nessa sala e os planos malignos são esquematizados lá. Quanto mais tempo você gastar neste lugar, mais o seu coração desvalorizará o seu cônjuge. Este processo tem início no momento em que você passa pela porta desta sala, já que todas as vezes que uma marca é deixada lá, a importância dada ao seu cônjuge diminui.
Você pode dizer, "Mas o que escrevo lá é verdade!" Sim, mas o que está escrito na Sala da Admiração também é verdade. Todos falham e possuem áreas que precisam de crescimento.
Todos têm questões não resolvidas, feridas e cargas pessoais. Este é um aspecto triste do ser humano. Todos nós pecamos. Mas temos essa tendência infeliz de subestimar nossos atributos
negativos enquanto colocamos os do nosso próximo sob uma lente de aumento. Vamos analisar a verdadeira questão aqui. O amor tem conhecimento da Sala da Depreciação e não vive negando sua existência.
Mas o amor escolhe não viver nela. Você precisa tomar a atitude de não correr mais para esta sala e de não permanecer por lá após cada acontecimento frustrante no seu relacionamento. Isso não lhe faz nenhum bem, e rouba de você a alegria do casamento.
O amor escolhe acreditar no melhor das pessoas. Ele dá a elas o benefício da inocência. Ele se recusa a preencher o desconhecido com suposições negativas. E quando nossas piores
expectativas se tornam verdade, o amor faz todo o esforço para lidar com elas e ir em frente. O amor foca no positivo enquanto for possível.
É hora de começar a pensar de maneira diferente. É hora de deixar o amor guiar os seus pensamentos e o seu foco. O único motivo que você tem para dar uma olhada na Sala da
Depreciação é o de saber como orar pelo seu cônjuge. E a única razão que você tem para entrar nesta sala, é escrever "COBERTO EM AMOR" com letras garrafais em todas as paredes.
É hora de nos mudar para a Sala da Apreciação, nos acomodar e fazer dela o nosso lar. Como escolhemos meditar nos aspectos positivos, descobriremos que muitas outras qualidades
maravilhosas poderão ser escritas nestas paredes. O seu cônjuge é um livro vivo e infinito a ser lido. Ainda existem sonhos e desejos para serem realizados. Talentos e habilidades para serem
descobertos, como tesouros escondidos. Mas a escolha de explorá-los começa com uma decisão sua.
É preciso desenvolver o hábito de frear seus pensamentos negativos e focar nos atributos positivos do seu cônjuge. Esta é uma etapa crucial pela qual temos que passar para aprender a
conduzir nosso coração ao verdadeiro amor. Essa é uma decisão sua, mereça ele ou não.
» Desafio de hoje »
Para o desafio de hoje, pegue duas folhas de papel. Na primeira, passe alguns minutos escrevendo coisas positivas a respeito do seu cônjuge. Depois, na segunda folha, faça o mesmo com as coisas negativas. Coloque as duas folhas em um lugar secreto para o próximo dia. Existe um propósito e um plano diferente para cada uma dessas listas. Em algum ponto durante o resto do dia, escolha um atributo positivo e agradeça ao seu cônjuge por ter essa característica.


Trecho do livro Desafio de amar
Editora Desafio da fé

--

Geibson Lehugeur - MEM/MARP

6° Dia - O Amor Não Se Irrita Facilmente


O amor é tardio em ofender e pronto a perdoar. Você se irrita e se ofende facilmente?
Algumas pessoas têm a frase "Nunca perca uma oportunidade de ficar chateado com o seu cônjuge" como lema. Quando alguma coisa dá errada, elas rapidamente conseguem um jeito de se beneficiarem, expressando o quanto estão frustradas ou machucadas. Mas essa reação é oposta ao amor.
Irritar-se facilmente significa "estar próximo à ponta de uma faca". Não livre de ser ferido. As pessoas que se irritam facilmente são fechadas, oprimidas e prontas para reagir.
Quando sob pressão, o amor não se irrita. Problemas pequenos não criam grandes contraataques.
A verdade é: o amor não se ira ou se machuca a menos que exista uma razão legítima e justa diante de Deus. Um marido amoroso permanecerá calmo e paciente, mostrando misericórdia e contendo seu temperamento. Raiva e violência estão fora de cogitação. A esposa amorosa não é extremamente sensível ou mal-humorada, mas exerce o autocontrole emocional.
Ela prefere ser uma flor entre os espinhos e responde amigavelmente às situações difíceis.
Se você está caminhando sob a influência do amor, você será motivo de alegria, não de dor.
Pergunte a si mesmo, "Sou uma brisa suave ou uma tempestade esperando para agir?"
Por que as pessoas se irritam facilmente? Existem, pelo menos, duas razões principais que contribuem para isso:

Estresse. O estresse nos sobrecarrega, suga nossa energia, enfraquece nossa saúde, e nos deixa mal-humorados. O estresse pode ser causado por problemas de relacionamento: discussões, divisões e amargura. Existem as questões de excesso: trabalhar muito, jogar muito e gastar excessivamente. E existem as deficiências: não descansar, não se alimentar e não se exercitar o suficiente. Muitas vezes, nos submetemos a esses males, e isso nos torna irritáveis.
A vida é uma maratona, não uma corrida de 100 metros rasos. Isto significa que você deve balancear, priorizar e medir seus passos. Com freqüência jogamos a cautela ao vento e corremos disparados, fazendo o que parece correto no momento. Em pouco tempo ficamos sem ar, presos em amarras e prestes a falar de maneira dura. A crescente pressão pode acabar com a nossa paciência e, conseqüentemente, com o nosso relacionamento.
A Bíblia pode nos ajudar a evitar o estresse que é prejudicial à saúde.




A Bíblia também nos exorta a guardar o "sábado", tirar um dia por semana para adorar e descansar. Estrategicamente isto nos permite recarregar a bateria, ajustar o foco e acrescentar um tempo para respirar em nossa agenda. Estabelecer esse tipo de espaço extra faz com que os impactos das pressões ao nosso redor sejam amortecidos, reduzindo o estresse que nos mantém no limite com nosso cônjuge. Mas existe uma razão mais profunda que contribui para uma pessoa se irritar facilmente.
Egoísmo. Quando nos irritamos facilmente, o coração do problema é primeiramente um problema do coração. Jesus disse,


Algumas pessoas são como limão: quando a vida as espreme, elas liberam uma resposta azeda. Alguns são mais parecidos com o pêssego: quando pressionados, a resposta ainda é doce.
Irar-se facilmente é um indicador de que uma área escondida de egoísmo e insegurança está presente onde o amor deveria reinar. Mas o egoísmo também veste muitas outras máscaras:
A cobiça, por exemplo, é o resultado de ser ingrato pelo que você tem e escolher encobrir ou se apaixonar por algo que é proibido.


A amargura cria raiz quando respondemos de maneira crítica e nos recusamos a tratar nossa raiva.


A ambição por mais dinheiro e posse nos frustrará com desejos inalcançáveis (1 Timóteo 6:9-10).

Essas fortes paixões, unidas com a insatisfação, nos levam a ofender qualquer um que esteja em nosso caminho. O orgulho nos leva a agir de forma áspera para protegermos nosso ego e reputação.
Estas motivações nunca serão satisfeitas. Mas quando o amor entra em nosso coração, ele nos acalma e nos inspira a tirar o foco de nós mesmos. Ele liberta nosso entendimento e nos ajuda a liberar as coisas desnecessárias.
O amor nos levará a perdoar ao invés de guardar rancor. A sermos gratos em lugar de mesquinhos. A sermos satisfeitos ao invés de prontos a fazer dívidas. O amor nos encoraja a ficarmos felizes quando o outro é bem sucedido, em lugar de perder o sono de tanta inveja. O amor diz, "compartilhe a herança" ao invés de "dispute com seus parentes". O amor nos lembra de priorizar a família em lugar de sacrificá-la por uma promoção no trabalho. No final das contas, o amor diminui o estresse e ajuda a acabar com o veneno que pode crescer dentro de nós em cada decisão que tomamos. Assim, ele prepara o nosso coração para responder ao nosso cônjuge com paciência! e encorajamento, ao invés de responder com raiva e irritação.


» Desafio de hoje »
Escolha hoje para reagir de maneira amorosa, apesar das circunstâncias do seu casamento.
Comece fazendo uma lista das áreas em que você precisa separar um tempo para respirar. Então, faça uma lista das motivações negativas e abra mão delas.


Trecho do livro Desafio de Amar
Editora Desafio da Fé

--
Geibson Lehugeur - MRM/MARP

5° Dia - O Amor Não Maltrata


Nada irrita o outro tão rápido quanto à grosseria. Arrogância é dizer coisas desnecessárias ou fazer coisas desagradáveis para a pessoa ao nosso lado. Ser rude é ser inconveniente, constrangedor ou irritante. No casamento, isso poderia ser o falar grosseiro, certos comportamentos à mesa, ou o hábito de ser sarcástico. Apesar de convivermos com isso, ninguém gosta de estar com uma pessoa rude. Comportamentos rudes podem parecer insignificantes para a pessoa que é grosseira, mas é desagradável para aqueles que recebem a grosseria.
Como sempre, o amor tem algo a dizer sobre isso. Quando um homem é guiado pelo amor, ele se comporta intencionalmente de forma a fazer sua esposa se sentir confortável onde estiver. Se ela deseja amá-lo, ela irá propositadamente evitar coisas que o frustram ou causam desconforto para ele.
O ponto principal é que o amor verdadeiro presta atenção em seu comportamento.
Adotar este conceito pode trazer refrigério ao seu casamento. Boas maneiras expressam para sua esposa ou para o seu marido: "Eu lhe valorizo o suficiente para exercitar autocontrole perto de você. Eu quero ser uma companhia agradável." Quando permitimos que o amor mude o nosso comportamento - mesmo que nos menores aspectos - restauramos uma atmosfera de honra em nosso relacionamento. As pessoas que praticam boa etiqueta tendem a aumentar o nível de respeito no ambiente onde se encontram.
Para a maioria, a etiqueta usada em casa é muito diferente da usada com amigos, e até mesmo com os estranhos. Podemos estar aos berros ou mal humorados, mas se a campainha tocar, abrimos a porta sorrindo e com muita gentileza. Mas, se nos desafiamos a amar, também iremos querer dar o melhor de nós. Se não deixarmos o amor nos motivar a fazer as mudanças necessárias em nosso comportamento, a qualidade do nosso casamento será atingida por conta disso.
As mulheres tendem a ser muito melhores em certos tipos de comportamento do que os homens, apesar de serem rudes de outras formas. O rei Salomão disse:


Mas, principalmente os homens, precisam aprender essa importante lição. A Bíblia diz:


Um homem prudente sabe discernir o que é apropriado e, conseqüentemente, ajustar seu comportamento de acordo com a situação.
Há duas razões principais pelas quais as pessoas são rudes: ignorância e egoísmo. Com certeza, nenhuma das duas é boa. Uma criança nasce ignorante no que se refere à etiqueta, precisando de muita ajuda e treinamento. Os adultos, contudo, demonstram sua ignorância em outro nível. Sabemos as regras, mas podemos nos fazer de cegos sobre como as quebramos ou ser egocêntricos demais para nos importar. De fato, não percebemos o quão desagradáveis podemos ser.
Ponha-se à prova com essas perguntas:
• Como o seu cônjuge se sente com o seu jeito de agir e falar com ele?
• Como o seu comportamento afeta o senso de auto-estima e de importância do seu cônjuge?
• Seu marido ou sua esposa diria que você é uma bênção, ou que você é condescendente e constrangedor?
Se você está pensando que o seu cônjuge - não você - é quem precisa ser trabalhado nesta área, você está provavelmente sofrendo de um caso grave de ignorância e egoísmo. Lembre-se, o amor não maltrata, mas leva você a um padrão mais elevado.
Você deseja que seu cônjuge pare de fazer coisas que lhe chateiam? Então, é hora de parar de fazer coisas que o chateiam. Você será reflexivo e amoroso o suficiente para descobrir e evitar o comportamento que torna a vida desagradável para seu (sua) companheiro (a)? Você aceitará o desafio de ser agradável?
Aqui estão três princípios norteadores para que você pratique a etiqueta em seu casamento:
• Nada de Padrões Diferentes. Seja tão atencioso com o seu cônjuge quanto você é com estranhos ou com colegas de trabalho.
• Atenda às Solicitações. Considere o que o seu marido ou esposa lhe pediu para fazer ou não fazer. Se estiver em dúvida, então pergunte.

» Desafio de hoje »
Peça ao seu cônjuge para lhe dizer três coisas sobre você que o deixam desconfortável e irritado. Faça isso sem atacá-lo e sem justificar seu comportamento. Preocupe-se apenas com a perspectiva dele.


Trecho do Livro Desafio de Amar
Editora: Mensagem da Fé
--


Geibson Lehugeur - MRM/MARP

4º Dia - O Amor é Atencioso

Como são preciosos para mim os teus pensamentos... Como é grande a soma deles! Se eu os contasse, seriam mais do que os grãos de areia. - Salmos 139: 17-18

O amor pensa. Ele não é um sentimento tolo que passeia pelas ondas da emoção e então
cai no sono mental. Ele se mantém ocupado em pensamentos, sabendo que os
pensamentos amorosos precedem as atitudes amorosas.
Quando você se apaixonou, o pensamento veio quase que naturalmente. Você passou
horas imaginando como seria a pessoa amada, imaginando o que ela estaria fazendo;
ensaiando coisas marcantes para dizer e, depois, curtindo doces memórias do
tempo que passaram juntos. Você disse sinceramente: "Eu não consigo parar de pensar em
você."
Mas, para a maioria dos casais, as coisas começam a mudar logo depois do casamento.
A esposa finalmente tem seu marido; o marido já tem seu troféu. A caça está terminada e a
perseguição encerrada, Fagulhas de romance vagarosamente tornam-se cinzas e a
motivação para o pensamento esfria. Você se deixa focar em seu trabalho, seus amigos,
seus problemas, seus desejos pessoais, em você. Depois de algum tempo, você
involuntariamente começa a ignorar as necessidades do seu cônjuge.
Mas o fato de que o casamento acrescentou outra pessoa em seu universo não mudou.
Então, se o seu pensamento não amadureceu o bastante para constantemente incluir esta
pessoa, você se pega sendo surpreendido ao invés de reflexivo. “Hoje é nosso aniversário?”
“Por que você não me inclui nesta decisão?” “Você nunca pensa em ninguém além de você
mesmo?”
Se você não aprender a ser reflexivo, acabará se arrependendo por ter perdido oportunidades
de demonstrar amor. A falta de atenção é um inimigo silencioso para um relacionamento
amoroso.
Sejamos honestos. Os homens lutam mais contra a falta de atenção do que as mulheres. O
homem tem a capacidade de focar em apenas uma coisa, como um laser, e esquecer-se do resto
do mundo. Enquanto isto pode beneficiá-lo naquela área específica, pode também fazê-lo ignorar
outras coisas que precisam de sua atenção.
A mulher, por outro lado, é mais multiconsciente, capaz de manter-se incrivelmente atenta a
vários fatos ao mesmo tempo. Ela tem a capacidade de falar ao telefone, cozinhar, saber em
que cômodo da casa as crianças estão e se perguntar por que seu marido não a está ajudando...
Tudo simultaneamente. Além disso, a mulher também pensa no coletivo. Quando ela se envolve
em algum trabalho específico, fica a par de todas as pessoas que de alguma forma estão ligadas a
ele.
Essas duas tendências são exemplos de como Deus projetou as mulheres para completarem
os seus maridos. Como Deus disse na criação:
"Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e o corresponda" (Gênesis 2: 18).
Porém, essas diferenças também criam oportunidades para o desentendimento.
Homens, por exemplo, tendem a pensar de forma objetiva e a dizer exatamente o que querem
dizer. Não é preciso mais nada para compreender a mensagem. Suas palavras são mais literais e
não devem ser analisadas além do que foi dito. Mas, as mulheres falam e pensam nas entrelinhas.
Elas têm a tendência de fazer insinuações. Um homem precisa ouvir também o que está implícito
se quiser obter o significado completo do que uma mulher diz.
Se um casal não tem essa compreensão um do outro, isso pode resultar em desentendimentos
sem fim. Ele fica frustrado tentando entender por que ela fala em enigmas ao invés de falar de
uma vez o que quer. Ela fica frustrada tentando entender por que ele é tão desatento e não soma
dois mais dois para compreender o que ela diz.
Uma mulher deseja profundamente que seu marido seja atencioso e reflexivo. Essa é uma das
chaves que a ajuda a sentir-se amada. Quando ela fala, o homem sábio ouve como um detetive
para descobrir as necessidades e desejos implícitos em suas palavras. Contudo, se ela sempre
tem que juntar as peças, ele perde a oportunidade de demonstrar que a ama.
Isto também explica por que as mulheres ficam chateadas com seus maridos sem dizer a eles
o porquê. Ela pensa: "Eu não deveria ter que explicar isso para ele. Ele precisa ser capaz de
olhar a situação e entender o que está acontecendo aqui." Ao mesmo tempo, ele se sente mal
porque não pode ler a mente dela e deseja saber por que está sendo punido por um crime que
não sabia que havia cometido.
O amor requer atenção - dos dois lados - o tipo de atenção que constrói pontes através da
combinação de paciência, bondade e generosidade. O amor ensina a acertar o alvo, a respeitar e
a apreciar a maneira única de pensar do seu cônjuge.
O marido deve ouvir a sua esposa e aprender a considerar as mensagens não ditas. A esposa
deve aprender a se comunicar com atenção e não dizer uma coisa significando outra.
Porém, com freqüência você fica irado e se frustra, seguindo o padrão destrutivo "Preparar,
apontar, fogo!" Você fala de forma dura e só depois pensa se deveria ter dito o que disse. Mas a
natureza atenciosa do amor lhe ensina a usar a mente antes de usar os lábios. O amor pensa antes de falar. Ele filtra as palavras com a peneira da verdade e da bondade.
Quando foi a última vez que você gastou alguns minutos pensando em como poderia
demonstrar amor ao seu cônjuge e entendê-lo melhor? Qual a necessidade imediata que você
pode suprir? Para qual próximo evento (aniversário, data comemorativa, feriado) você já
pode se preparar? Grandes casamentos vêm de grandes reflexões.

» Desafio de hoje »
Faça contato com o seu cônjuge em algum momento durante a agitação do dia. Não faça
outra coisa senão perguntar como ele está e se tem algo que você pode fazer por ele.

Trecho do livro Desafio de Amar
Editora: Imprensa da Fé
--
Geibson Lehugeur - MRM/MARP

3° Dia O Amor Não É Egoísta


Vivemos em um mundo dominado pelo "ego". A cultura ao nosso redor nos ensina a
priorizar nossa aparência, sentimentos e desejos pessoais. Ao que parece, o objetivo é buscar o
nível mais elevado possível de felicidade. Porém, o perigo desse pensamento se torna
visivelmente doloroso, uma vez dentro do casamento.
Se algum dia existiu alguma palavra que significasse o contrário de amor, essa palavra seria
egoísmo. Infelizmente, o egoísmo é algo arraigado em todos nós desde o nascimento. Você pode
perceber isso no modo como as crianças se comportam e, geralmente, na maneira como os
adultos se maltratam. Quase todas as ações pecaminosas já cometidas podem ser relacionadas a
um motivo egoísta. O egoísmo é uma característica que odiamos nos outros mas que
justificamos em nós mesmos. Além disso, você não pode apontar as várias formas de egoísmo
do seu cônjuge sem admitir que você também é egoísta. Isso seria hipocrisia.
Por que será que esperamos tão pouco de nós mesmos, mas estabelecemos padrões tão
elevados para o nosso cônjuge? A resposta é difícil de engolir. Somos todos egoístas.
Quando um marido coloca os seus interesses, desejos e prioridades à frente de sua esposa é
sinal de egoísmo. Quando uma esposa reclama constantemente sobre o tempo e a energia gastos
em suprir as necessidades de seu marido, é sinal de egoísmo.
apaixonados - aqueles que vivem o pleno propósito do casamento - são inclinados a cuidar bem
do outro ser humano, falho, que eles escolheram para compartilhar a vida. É por isso que o amor
verdadeiro busca maneiras de dizer "sim".
Um aspecto irônico do egoísmo é que mesmo as ações generosas podem ser egoístas se o
objetivo for vangloriar-se ou receber alguma recompensa. Se você faz algo, ainda que bom, para
manipular seu marido ou sua esposa, você ainda está sendo egoísta. Na verdade, o ponto
principal é a sua decisão entre amar os outros ou amar a si mesmo.
O amor não se satisfaz senão na felicidade do outro. Você não pode agir com amor e ao
mesmo tempo com egoísmo. Escolher amar o seu marido ou a sua esposa lhe levará a dizer
"não" aos seus desejos, para que você diga "sim" à necessidade do outro. Isso é colocar a
felicidade do seu (sua) companheiro (a) acima da sua própria vontade. Não significa que você
nunca vai experimentar a felicidade, mas significa que você não negará a felicidade do seu
cônjuge para vivê-la você mesmo.
O amor também leva a uma alegria interior. Quando você prioriza o bem-estar do seu
cônjuge, uma satisfação interior, que não pode ser adquirida através de ações egoístas, nasce
dentro de você. Esse é um benefício criado por Deus e reservado para aqueles que
verdadeiramente demonstram amor. A verdade é, quando você renuncia aos seus interesses em
benefício do seu marido ou da sua esposa, você tem a chance de se sacrificar pelo propósito
maior do casamento.
Ninguém lhe conhece tão bem como o seu cônjuge. E isso significa que ninguém
reconhecerá tão rápido a mudança, quando você começar a sacrificar, deliberadamente, os seus
desejos e vontades para se assegurar de que os desejos dele estão sendo satisfeitos. Se você acha
difícil sacrificar seus próprios desejos para beneficiar seu cônjuge, então você tem um problema
mais profundo com o egoísmo do que imagina.
Faça essas perguntas para você mesmo:
• Eu realmente desejo o que é melhor para o meu marido ou para a minha esposa?
• Eu quero que ele (a) sinta-se amado (a) por mim?
• Ele (a) acredita que eu tenho seus maiores interesses em mente?
• Ele (a) me vê buscando os meus interesses em primeiro lugar?
Goste ou não, você tem uma reputação aos olhos das pessoas que estão ao seu redor,
especialmente aos olhos do seu cônjuge. Mas essa é uma reputação amorosa? Lembre-se, o (a)
seu (sua) companheiro (a) também tem o desafio de amar uma pessoa egoísta. Então, seja o
primeiro a demonstrar amor verdadeiro, com os seus olhos bem abertos. E quando tudo for
dito e feito, ambos se sentirão mais satisfeitos.


» Desafio de hoje »
Aquilo em que você colocar seu tempo, energia e dinheiro, será mais importante para você. É difícil se importar com algo em que você não está investindo. Além de evitar comentários negativos, compre para o seu cônjuge alguma coisa que diga: "eu estava pensando em você hoje".

Trecho do livro Desafio de Amar
Editora: Imprensa de Fé

--
Geibson Lehugeur - MRM/MARP

2° Dia O Amor É Bondoso


A bondade é o amor em ação. Se a paciência é a maneira pela qual o amor reage para
minimizar uma circunstância negativa, a bondade é a maneira como o amor age para
maximizar uma circunstância positiva. A paciência evita o problema; a bondade abençoa.
Uma é preventiva, a outra é ativa. Estes dois lados do amor são a pedra fundamental onde são
construídos muitos dos outros atributos que discutiremos.
O amor lhe faz bondoso, e a bondade lhe torna agradável. Quando você é bom, as pessoas
desejam ficar ao seu redor. Elas vêem você como sendo bom com elas e para elas.
A chave bíblica para a importância da bondade é:


Pessoas bondosas acham favor aonde quer que vão, até mesmo em casa. Mas a "bondade" pode parecer um pouco ampla ao ser definida, e principalmente ao ser vivida. Então, vamos dividi-la em quatro ingredientes principais:

- Gentileza. Quando você é movido pela bondade, você é cuidadoso no modo como trata seu
cônjuge, nunca sendo rude desnecessariamente. Você é sensível, tenro.
Mesmo quando precisar dizer coisas duras, fará um grande esforço para que a sua censura ou provocação soe o mais leve possível. Você fala a verdade em amor.

- Prestabilidade. Ser bom significa que você supre as necessidades do momento. Se forem os
afazeres domésticos, você se ocupa com eles. Um ouvido? Você dá o seu. A bondade agracia a
esposa com a habilidade de servir ao marido sem se preocupar com os seus próprios direitos. A bondade torna o marido curioso para saber as necessidades da esposa, e depois o motiva para ser aquele que fará de tudo para suprir essas necessidades - mesmo que as dele sejam postas em segundo plano.

- Boa vontade. A bondade lhe inspira a ser agradável. Ao invés de ser obstinado, relutante ou
teimoso, você coopera, é flexível. Em lugar de reclamar ou dar desculpas, você busca razões
para se comprometer e ajudar. Um marido gentil acaba com milhares de argumentos em
potencial, tendo boa vontade para ouvir primeiro ao invés de exigir que as coisas sejam feitas à sua maneira.

- Iniciativa. A bondade pensa à frente, e dá o primeiro passo. Ela não se senta esperando ser
estimulada ou forçada a sair do sofá. O marido ou a esposa gentil será o que cumprimenta
primeiro, sorri primeiro, serve primeiro e perdoa primeiro. Ele (a) não espera o outro agir para então demonstrar amor. Quando agimos segundo a bondade, vemos as necessidades, e então tomamos a atitude primeiro.

Jesus descreveu de forma criativa a bondade do amor na parábola do Bom Samaritano,
encontrada na Bíblia - Lucas, capítulo 10. Um homem judeu atacado por assaltantes foi deixado quase morto em uma estrada deserta. Um sacerdote e um levita, respeitados no meio do povo, passaram pelo outro lado decidindo não parar. Muito ocupados. Muito importantes.
Apreciadores de mãos limpas. Mas um homem comum de outra etnia - os odiados samaritanos, cujo ódio pelos judeus era cruel e mútuo - vê o homem em sua necessidade e é movido de compaixão. Atravessando todos os limites culturais e arriscando se expor ao ridículo, ele parou para ajudar o homem. Enfaixando-lhe as feridas e colocando-o sobre seu próprio animal, ele o carrega até uma hospedaria e paga todas as despesas médicas do seu próprio bolso. Onde anos de racismo causaram rixa e divisão, um ato de bondade aproximou dois inimigos.
Gentilmente, prestativarnente, de boa vontade. Tomando a iniciativa, esse samaritano
demonstrou a bondade verdadeira de todas as maneiras possíveis.
Não foi a bondade uma das principais coisas que uniram você e seu cônjuge em primeiro
lugar? Quando se casou, você não esperava curtir a bondade dele para o resto de sua vida?
O seu cônjuge não esperava o mesmo de você? Mesmo que os anos sejam capazes de afastar essa esperança, a alegria no casamento ainda está ligada ao nível diário de bondade expressada.
A Bíblia descreve uma mulher cujo marido e filhos a abençoam e honram. Entre todos os
seus atributos, se destacam estes:

"Fala com sabedoria e ensina com amor" (Provérbios 31:26).

E você? Como seu marido ou sua esposa lhe descreveria à luz da bondade? Você é áspero? É gentil e prestativo? Você espera que lhe peçam alguma coisa ou você toma a iniciativa de ajudar? Não espere seu cônjuge ser bondoso primeiro para que então, você pratique a bondade.
É difícil expressar amor quando existe pouca ou nenhuma motivação. Mas o amor em sua
essência não é baseado em sentimentos. Pelo contrário, faz parte da natureza do amor ter
consideração e ser atencioso, mesmo quando parece não haver recompensa. Você nunca
aprenderá a amar até que aprenda a demonstrar bondade.

» Desafio de hoje »
Além de, mais uma vez, não dizer palavras negativas ao seu cônjuge hoje, demonstre
bondade com, no mínimo, um gesto inesperado.

Trecho do livro Desafio de Amar
Editora: Imprensa da Fé

--
Geibson Lehugeur - MRM/MARP

1° Dia O Amor É Paciente

Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor. - Efésios 4:2

O amor funciona. É o motivador mais poderoso e tem uma profundidade e um

significado bem maiores do que a maioria das pessoas pensa. O amor sempre faz o que é melhor para os outros e tem o poder de nos fortalecer para enfrentar grandes problemas.

Nascemos com uma sede perpétua de amor. Nosso coração precisa de amor, assim como nossos pulmões precisam de oxigênio. O amor muda a nossa motivação de vida.

Os relacionamentos se tornam significativos com ele. Nenhum casamento é bem sucedido sem amor.

O amor é construído sobre dois pilares que melhor definem o que ele é. Esses pilares são a paciência e a bondade. Todas as outras características do amor são extensões desses dois atributos. E é aqui que começa o seu desafio, com a paciência.

O amor irá lhe inspirar a ser uma pessoa paciente. Quando você decide ser paciente, você responde de maneira positiva à uma situação negativa. Você é tardio em irar-se.

Prefere ter um "pavio longo" a se irritar facilmente. Ao invés de ser impaciente e exigente, o amor lhe ajuda a se acalmar e a transmitir misericórdia aos que estão ao seu redor.

A paciência traz a calma interior em meio à tempestade exterior.

Ninguém gosta de ter uma pessoa impaciente por perto. Estar próximo de alguém assim faz você reagir com raiva, insensatez e de maneiras lamentáveis.

A ironia da raiva em uma ação errada está em gerar novos erros por si só.

A raiva quase nunca torna as coisas melhores.

Na verdade, ela geralmente cria mais problemas.

Mas a paciência paralisa o andamento do problema.

A paciência, mais do que morder a língua, mais do que bater a mão na boca, é respirar fundo.

Ela purifica o ar. Ela impede a insensatez de espalhar seu veneno por toda casa. Ter paciência é escolher controlar suas emoções ao invés de permitir que elas lhe controlem.

É demonstrar discrição ao invés de pagar mal com mal.

Se o seu cônjuge lhe ofende, você rapidamente revida ou você se controla? Você reage com raiva quando lhe tratam injustamente? Se a resposta for sim, você está espalhando veneno ao invés de remédio.

A raiva é causada, na maioria das vezes, quando um forte desejo por algo é combinado com decepção ou tristeza.

Você não consegue o que quer, então começa a se irritar por dentro. Muitas vezes ela é a reação emocional que resulta das nossas razões egoístas, tolas e más.

Por outro lado, a paciência nos torna sábios.

Ela não se apressa em julgar, mas ouve o que a outra pessoa está dizendo.

Ela espera na entrada enquanto a raiva deseja invadir com violência. A paciência aguarda para ver toda a situação antes de julgar.

A bíblia diz:

"o homem paciente dá prova de grande entendimento, mas o precipitado revela insensatez" (Provérbios 14:29).

Assim como a falta de paciência fará do seu lar uma zona de guerra, a prática da paciência estimulará a paz e a tranqüilidade.

"O homem irritável provoca dissensão, mas quem é paciente acalma a discussão" (Provérbios 15:18).

Frases como esta do livro de Provérbios são princípios claros de aplicação eterna. A paciência é o lugar onde o amor encontra sabedoria. E todo casamento precisa desta combinação para permanecer saudável.

A paciência lhe ajuda a dar ao seu cônjuge o direito de ser humano.

A paciência entende que todos falham. Quando um erro é cometido, a paciência decide dar mais tempo do que ele (a) precisa para corrigi-lo. A paciência lhe capacita a permanecer firme durante os tempos difíceis do seu relacionamento, ao invés de lhe esgotar com as pressões.

Mas o seu cônjuge pode contar com um marido ou com uma esposa paciente? Ela pode ter certeza de que se trancar as chaves dentro do carro poderá contar com a sua compreensão ao invés de ouvir um sermão que a fará sentir-se como uma criança?

Ele pode se assegurar de que se comemorar os últimos segundos do jogo de futebol não vai ouvir uma lista de sugestões de como poderia usar melhor o seu tempo?

Acontece que poucas pessoas são tão difíceis de se conviver quanto uma pessoa impaciente.

Como seria o tom de voz do seu lar se você colocasse em prática essa abordagem bíblica:

"tenham cuidado para que ninguém retribua mal com mal, mas sejam sempre bondosos uns para com os outros e para com todos." (1 Tessalonicenses 5: 15)?

Poucos de nós praticam a paciência de forma adequada, e nenhum de nós a pratica naturalmente. Mas o homem e a mulher sábios verão a paciência como um ingrediente essencial no casamento. Este é um bom ponto de partida para demonstrar o amor verdadeiro.

Essa jornada de O Desafio de Amar é um processo, e a primeira atitude que você deve decidir ter é ser paciente.

Pense nisso como uma maratona, não como uma corrida de 100 metros rasos. Uma maratona que vale à pena correr.

» Desafio de hoje »

A primeira a parte do desafio de hoje é bastante simples. Apesar do amor se comunicar de várias formas, as palavras, na maioria das vezes, refletem o estado do nosso coração. Para o próximo dia, decida demonstrar paciência e de modo algum diga algo negativo para o seu cônjuge. Se a tentação surgir, não diga nada. É melhor segurar a língua do que dizer algo de que possa se arrepender depois.

Trecho do livro Desafio de Amar

Editora : Imprensa da Fé

--

Geibson Lehugeur - MRM/MARP

Introdução

AS ESCRITURAS DIZEM que Deus projetou e criou o casamento para ser algo bom. Ele é um
presente lindo e inestimável. Deus usa o casamento para nos ajudar a acabar com a solidão;
multiplicar nossa eficiência construir famílias;criar filhos; curtir a vida e nos abençoar com o
relacionamento íntimo. Mas além disso, o casamento também nos mostra a necessidade de
crescer e de lidar com nossas próprias dificuldades e com o egocentrismo através da ajuda de
um companheiro para toda a vida. Se somos "ensináveis", iremos aprender a fazer aquilo que é
mais importante no casamento: amar. Esta poderosa união lhe mostra o caminho para amar
incondicionalmente outra pessoa imperfeita. Isto é maravilhoso. É difícil. É uma mudança de
vida.
Este livro é sobre o amor, sobre a aprendizagem e sobre o desafio de viver um
relacionamento amoroso. E essa jornada se inicia com a pessoa que está mais próxima de você:
seu cônjuge. Que Deus lhe abençoe nesta aventura.
Mas esteja certo de uma coisa: você precisará de coragem. Ao aceitar esse desafio, você
precisa ter a consciência de que ao invés de seguir o coração, terá que governá-lo. O mundo diz
para seguir o coração, mas se você não estiver governando o seu, então alguém ou alguma
outra coisa estará. A bíblia diz que "enganoso é o coração, mais do que todas as coisas"
(Jeremias 17:9), e ele sempre perseguirá aquilo que parece certo no momento.
Nós desafiamos você a pensar de maneira diferente - escolher direcionar o seu coração para
aquilo que será melhor ao longo do caminho. esta é a chave para relacionamentos permanentes e
recompensadores.
A jornada de o desafio de amar não é um processo para tentar fazer do seu cônjuge a pessoa
que você quer que ele seja. Com certeza você já descobriu que o esforço em tentar mudar seu
marido ou sua esposa acabou em fracasso e frustração. Pelo contrário, esta é uma jornada de
exploração e demonstração genuína de amor, mesmo quando o seu desejo acaba e quando as
suas motivações estão enfraquecidas. A verdade é que o amor é uma decisão e não apenas um
sentimento. Ele não busca os seus próprios interesses, é sofredor e transformador. E quando o
amor é demonstrado verdadeiramente, como foi planejado para ser, o seu relacionamento tem
grandes chances de mudar para melhor.
Em cada dia dessa jornada estão incluídos três elementos muito importantes:
Primeiro, um aspecto único do amor será discutido. Leia cada um desses aspectos
cuidadosamente e esteja aberto a um novo entendimento do que significa amar alguém
verdadeiramente.
Segundo, você terá um desafio específico para fazer com o seu cônjuge. Alguns serão fáceis
e outros bem desafiadores. Mas leve cada desafio a sério e seja criativo e corajoso o suficiente
para realizá-lo. Não desista se situações externas lhe impedirem de completar um desafio
específico. Apenas faça-o o mais rápido possível e prossiga na jornada.
Por último, você terá um espaço para anotar o que está aprendendo, fazendo e como o
seu cônjuge está reagindo.
É importante que você aproveite este espaço para registrar o que está acontecendo com você
e seu cônjuge ao longo do caminho. O seu progresso estará registrado nessas anotações que
provavelmente se tornarão inestimáveis para você no futuro.
Lembre-se, você tem a responsabilidade de proteger e guiar o seu coração. Não desista e não
fique desencorajado. Decida dirigi-lo e agir assim até o final. Aprender a amar verdadeiramente
é uma das coisas mais importantes que você fará.
AGORA, POIS, PERMANECEM A FÉ,
A ESPERANÇA E O AMOR, ESTES TRÊS;
MAS O MAIOR DESTES É O AMOR
1 Coríntios 13: 13
AINDA QUE EU FALASSE AS LÍNGUAS DOS
HOMENS E DOS ANJOS, E NÃO TIVESSE
AMOR, SERIA COMO O METAL QUE SOA
OU COMO O CÍMBALO QUE RETINE.
E AINDA QUE TIVESSE O DOM DE
PROFECIA, E CONHECESSE TODOS OS
MISTÉRIOS E TODA A CIÊNCIA, E AINDA
QUE TIVESSE TODA FÉ, DE MANEIRA TAL
QUE TRANSPORTASSE OS MONTES,
E NÃO TIVESSE AMOR, NADA SERIA.
E AINDA QUE DISTRIBUÍSSE TODOS OS
MEUS BENS PARA SUSTENTO DOS POBRES,
E AINDA QUE ENTREGASSE O MEU CORPO
PARA SER QUEIMADO, E NÃO TIVESSE AMOR,
NADA DISSO ME APROVEITARIA.
1 CORÍNTIOS 13:1-3

Desafio de Amar

Pois bem, a algum tempo assisti o filme Prova de fogo. O filme trata de um casal que esta passando por uma crise no casamento e o marido recebe um livro com um devocional de 40 dias para tentar salvar o casamento.

Não vou entrar muito nos detalhes do filme para não estragar a surpresa, mas o livro "Desafio de Amar" usado no filme pode ser considerado uma grande benção para casais em qualquer momento de seus relacionamentos.

Nos próximos 40 dias, vou trazer esse devocional para vocês.

Aqui eu repito a introdução do devocional:

Receba este devocional com um alerta.
Esta jornada de quarenta dias não pode ser encarada superficialmente.

Ela é um desafio e, na maioria das vezes, um processo difícil mas incrivelmente recompensador.
Aceitar este desafio exige uma mente determinada e decisões firmes.

O seu propósito não é o de ser experimentado ou testado por pouco tempo.
E aqueles que desistirem cedo perderão os maiores benefícios.
Se vocês se comprometer com um dia de cada vez em um período de quarenta dias, os resultados poderão mudar a sua vida e o seu casamento.

Considere este devocional como um desafio vindo de quem já o aceitou antes de você.


Geibson Lehugeur - MARP/MRM






Related Posts with Thumbnails