Onde terminam as Oferendas





Lembro que tinha um objetivo quando escrevi o conto "Como começam as oferendas", só que o tinha deixado à deriva. Até agora.

Todos temos um pouco (ou muito) de cada um dos personagens que foram 'exagerados' nesse conto. E todos nós começamos a fazer certas coisas, com o passar do tempo - como a família que começou a tirar o miolo do pão - para tentar proteger nossos sentimentos, ou lembrar de proteger o dos outros. O problema é que esses pequenos costumes acabam virando verdadeiras oferendas, que nos prendem a atitudes de dor, ressentimento, mágoa...

Às vezes somos como os filhos que se afastaram. Tentamos ficar longe das pessoas ou situações que nos 'ofendem'. Deixamos para trás amigos, conhecidos e até nossa família. Gerando em nós um laço de dor.

Outras vezes somos como os irmãos que tiveram a boa atitude de tentar melhorar a vida dos mais novos, mas com a intenção errada de previnir que eles passassem por experiências que julgavam traumáticas. Queremos fazer tudo do nosso jeito pois sempre sabemos o que é melhor, temos conhecimento de todas as situações da vida. E quando não somos aceitos - afinal, como podem não nos ouvir se estamos certos? - se gera um laço de ressentimento.

Ou somos como as crianças que não foram nem mimadas, nem tiveram independência suficiente para sair do lugar que lhes incomoda. Literalmente 'não fedemos nem cheiramos', ninguém se importa. Somos medianos, medíocres. E a mágoa nos enlaça.

E todos esses laços em nossa alma, nossos sentimentos, se manifestam de alguma forma no nosso proceder, e nosso físico. Como a família que não comia mais o miolo do pão por lembrar do Maurinho. Pela dor, ressentimento e mágoa que toda a situação gerou.

Um exemplo mais prático, mais diário? Nossa oferenda ao ressentimento, à mágoa, quando dizemos que não nos importamos pelas pessoas não nos procurarem, ligarem, mandarem e-mail. Nossa oferenda à dor, raiva ou ódio, quando nos negamos a consertar uma situação, seja com familiar ou conhecido. Nossa oferenda ao orgulho, a soberba quando nos negamos a reconhecer um erro ou falha.

E estes são uns poucos exemplos. No nosso dia-a-dia multiplicamos ofertas, oferendas, culto a vários sentimentos e atitudes que terminam por nos afastar da verdadeira adoração, da verdadeira liberdade e reverência.

Então, peça ao Único que é digno de receber a nossa oferenda, a Ele, o único que pode nos libertar desse paganismo íntimo, que nos faça livre desses laços que nos arrastam para a morte. E que Ele nos ajude a oferecer a nossa vida completa como oferta viva e agradável.


Jaqueline H. Leal

Boas Festas


Para mim, o dia 25 de Dezembro é um feriado como 12 de Outubro ou 1º de Maio. Entretanto, se realmente o FATO do Natal significa algo para nós, ele deve ser comemorado, e não somente no dia 25 de Dezembro, mas todos os dias, no nosso espírito. Abaixo, uma reflexão do Pr. Steve Wholberg sobre o assunto, que resume essa ideia.

"Queridos amigos


Enquanto reflito sobre a atual época de feriado e à multiplicidade de opiniões sobre a significância ou não-significância de 25 de Dezembro, uma coisa é muito clara para mim. O anjo Gabriel anunciou a Maria:


Ela dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Jesus; porque Ele salvará o seu povo dos pecados deles (Mateus 1:21).


De acordo com a anjo, a razão número um pela qual Jesus Cristo visitou a terra, nasceu em Belém, viveu uma vida perfeita na Judeia, morreu numa cruz cruel na sombra de Jerusalém e depois ressuscitou dos mortos, é para nos salvar individualmente de nossos pecados pessoais, para que possamos ser perdoados e transformados para viver uma nova vida (leia Tito 2:11-14).


Nunca devemos esquecer isso. Se não estamos dispostos a sermos salvos dos nossos próprios pecados e dos pecados populares desta geração, então, pelo menos para nós, Jesus Cristo visitou a terra em vão. Mas, se almejamos um Salvador, e a vitória sobre todo o mal, nós podemos ter isso. Jesus pode fazer isso. Lembre-se: Gabriel diz que Ele salva! Agradeça ao Senhor. Vamos manter nossos olhos em Jesus."


E dois versículos para que ponderemos nossas atitudes em ocasiões como esta, (grifos meus):

Portanto, não permitam que ninguém os julgue pelo que vocês comem ou bebem, ou com relação a alguma festividade religiosa ou à celebração das luas novas ou dos dias de sábado (por fazer ou não fazer).
Estas coisas são sombras do que haveria de vir; a realidade, porém, encontra-se em Cristo.
Colossenses 2:16-17 

e não deem atenção a lendas judaicas (um extremo) nem a mandamentos de homens que rejeitam a verdade (o outro extremo).Para os puros, todas as coisas são puras; mas para os impuros e descrentes, nada é puro. De fato, tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas.
Eles afirmam que conhecem a Deus, mas por seus atos o negam; são detestáveis, desobedientes e desqualificados para qualquer boa obra.
Tito 1:14-16

Assim sendo, desejo a todos o que eu desejo para mim mesmo (Mateus 7:12), seja a festa que for, Natal, Yule, Hanukkah, Ano Novo, Dia da Paz Universal...


Boas Festas!


E que em 2011 você possa ter um relacionamento com IHWH EL YESHUA, o Deus que se tornou nosso Salvador.

Isaías 12

E dirás naquele dia: Graças te dou, ó SENHOR, porque, ainda que te iraste contra mim, a tua ira se retirou, e tu me consolas.

Eis que Deus é a minha salvação; nele confiarei, e não temerei, porque o SENHOR JAVÉ é a minha força e o meu cântico, e se tornou o Meu Salvador.

E vós com alegria tirareis águas das fontes da salvação.

E direis naquele dia: Dai graças ao SENHOR, invocai o seu nome, fazei notório os seus feitos entre os povos, contai quão excelso é o seu nome.

Cantai ao SENHOR, porque fez coisas grandiosas; saiba-se isto em toda a terra.

Exulta e jubila, ó habitante de Sião, porque grande é o Santo de Israel que hoje habita contigo.

Isaías 7:14

Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel.

João 1:9-14

Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo.

Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.

Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;

Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.

E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.

No amor Daquele que habita no coração dos que creem,

Juliano G. Leal - MRM/MARP


Related Posts with Thumbnails