Ester, a grande mulher

Nestes dias 9, 10 e 11 comemoramos Purim. Para quem não sabe o que é Purim dê uma lida no livro de Ester ou digite Purim no Google.

O fato interessante desse ano é o Purim cair praticamente junto com o dia internacional da mulher, já que a principal figura da festa é uma mulher, quem sabe a mais reverenciada no mundo judaico. E é sobre ela que quero falar um pouco.

Ester, (ou como os judeus a conheciam Hadassa, ou ainda os assírios que a "hospedavam" Ashtarth), se tornou rainha pelos meios mais estranhos que se possa imaginar. O principal detalhe é que foi rainha de um povo estranho e contra vontade. E isso não a impediu de ser uma bênção para quem estava ao seu redor. Ela até hoje é vista como exemplo de corajem, audácia e um emblema nacional, e tudo que ela fez foi agir com confiança em Deus e baseada no amor.

Hoje as mulheres tem tentado de várias maneiras alcançarem seu espaço e terem seu valor reconhecido se impondo na sociedade e exigindo esses direitos. Ester não estava em posição de exigir nada e conseguiu sobrepujar as leis e as tradições de uma nação que não era a sua. A revelia da influencia de nobres e poderosos que queriam um genocídio gratuito, que ela impediu de forma humilde e ordeira, apenas com jejum e oração.

Deus deu às mulheres o poder da ternura e do afeto, do carinho e do amor, da sensualidade e da beleza, e hoje as mulheres tentam se impor por meios que são verdadeiras fraquezas e acabam sendo tiros pela culatra.

Os homens não precisam ser vencidos, pois já foram conquistados pelas doces e maravilhosas mulheres de todos os tempos. Sempre nos renderemos, como fez Assuero, àquelas que amamos. Os machistas... ah, olhem o que aconteceu com Hamã...

Feliz dia Internacional da Mulher, e um excelente e alegre Purim!

Postagens mais visitadas deste blog

Pólvora em Chimango

Sacrifício Diário

Noé