Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2009

A grande mentira do pecado

Jekyll & Hyde
Quem nunca passou por situações nas quais se sentiu como o personagem da história de Robert Louis Stevenson: dividido entre dois seres que são um só. Entre duas criaturas; uma moral e outra imoral. Uma boa e que busca o bem; outra maléfica e que somente faz o mal.
Hoje em dia, toda a igreja sofre com esse comportamento em maior ou menor grau. Muitos se comportando com uma aura de santidade dentro do templo, na convivência com os irmãos; mas no dia a dia se comportando pior que muitos não cristãos: tendo casos extra conjugais, mentindo, roubando e agindo das maneiras mais torpes possíveis.Qual a razão deste comportamento? A razão deste comportamento é o engano, a ação das legalidades, feridas e traumas na vida de cada um permitindo que o mundo no geral nos carregue no sentido contrário ao caminho de Deus.Mas o que não nos deixam saber é que o Mr. Hyde não é aquele monstro mostrado nas últimas produções hollywoodianas, mas um ser pequeno e medíocre que somente choca tant…

Pode entrar, papai!

Imagem
Eu não estou cabendo em mim! Hoje pela manhã, eu experimentei pela segunda vez uma das sensações mais maravilhosas que um homem pode provar. E foi diferente da primeira. Estou falando de ser Pai pela segunda vez. As duas vezes se equivalem mas tem suas peculiaridades. Na primeira vez, eu me sentia o próprio Mufasa quando o Rafiki ergue o Simba diante dos animais no Vale. Dessa vez era algo mais perto de um conto no estilo da Branca de Neve, ou Bela Adormecida - essa coisa bem de princesa. Na verdade, o que me veio a mente foi o Diário da Princesa; que não fala de um bebê, mas mostra que se pode construir uma princesa. Não com os livros e etiquetas, mas com valores humanos bem mais altos. E também podemos criar uma expectativa muito grande na futura princesa.Eu estava aguardando na sala do pré-parto quando a Enfermeira veio sorrindo e disse: "Pode entrar, papai!".Houve um flashback do nascimento do meu primogênito quando esqueceram de me chamar devido a alguns contratempos. E …

O casamento é importante?

Imagem
Este texto eu li no excelente blogE Agora, Como Viveremos?por Zig ZiglarO antropologista britânico John D. Unwin dirigiu um estudo profundo sobre oitenta civilizações que nasceram e morreram durante um período de uns quatro mil anos. Dr. Unwin descobriu que uma ameaça comum ocorrida em todas elas. Em cada caso elas iniciavam-se com um ponto de vista conservador, que envolvia fortes valores morais e enfatizava o valor da família. Depois de certo tempo, a conduta conservadora tornava-se mais e mais liberal, os valores morais declinavam e a família sofria. Em cada caso, enquanto a família deteriorava-se a própria civilização desintegrava-se, e em todos os oitenta casos, a queda da nação foi relacionada com a queda da família. Na maioria dos casos a civilização decaiu dentro de uma geração, com a queda da união da família.A pesquisa de Unwin revelou que quando um homem se apaixona por uma mulher, dedicando-se a cuidar dela, protegê-la e sustentá-la, ele de repente se torna o esteio da ord…

Um perigo antigo, uma roupa nova.

Imagem
Quando lemos a parábola do Joio e do Trigo, normalmente interpretamos errado. Acostumamos com a expressão "o joio cresce junto com o trigo" e a usamos fora do contexto, como se o joio crescesse sempre junto com o trigo. Quando não é bem isso que Jesus disse. Lendo atentamente, vemos que "o inimigo veio enquanto ninguém vigiava e semeou o joio no meio do trigo". Ou seja, o joio foi tão plantado quanto o trigo, mas não pelo mesmo semeador. Deus não planta joio! Foi o inimigo que plantou sorrateiramente, pelas costas, na calada da noite. Esse é o padrão do diabo, e consequentemente, dos que são dele: o joio infiltrado no meio do trigo.Você já viu o joio? Pois vai ver agora:Esse cara aí é o joio. Os profissionais da lavoura reconhecem ele sem dificuldade. Desde o agrônomo até o agricultor, tendo instrução ou não. Afinal, eles convivem com o joio e com o trigo, conhecendo as peculiaridades de cada um; e assim, conseguindo diferenciá-los.Conosco deveria ser igual. Devería…

Socorro, Meu Senhor! É o fim da picada!

Eu não disse!? Faz poucos dias que demonstrei minha indignação com a falta de senso do "povo evangélico". E me mandaram por email o exemplo que eu precisava (ou não, fica a seu critério) para demonstrar, confirmar e terminar de me entristecer.É muito duro ver que a coisa vai ainda além de tudo que poderíamos imaginar. Eu fico imaginando a tristeza de Deus ao ver esse tipo de aberração. E não me venham com aquele papo falso de crente pseudo-misericordioso dizendo que "ah, Deus usa pela misericórdia", "usou até a jumenta do Balaão". Lembrem-se apenas que a Jumenta não pecou nunca e que só abriu a boca pra falar as verdades do Senhor, bem diferente de nós!Assista ao clipe. É um áudio que foi legendado tal qual foi ouvido. Vou ser sincero, eu ri muito em algumas partes porque simplesmente não dá pra ficar sério! Mas o resultado final é extremamente indignante. Se Deus fizer uma pedra clamar vai ser pra mandar esse pobre irmão calar a boca!Aproveitem e vejam e…

Podemos melhorar?

Sofrimento

Quando recebemos um chamado de urgência; quando escutamos alguém nos chamando porque nossa ajuda é indispensável - senão algo muito ruim pode acontecer - o que fazemos? O que você faz?
Vejamos um exemplo. O seu cônjuge está no banho e grita para desligar a chave pois o chuveiro entrou em curto. Qual sua reação? Ficar sentado ou sair correndo para desligar a chave antes que algo ruim - algo que pode causar muita dor e sofrimento - aconteça com uma pessoa importante para você?Agora coloquemos isto no âmbito da igreja. Quando Deus chama você para evangelizar ou para orar pelos enfermos, ajudar na libertação de irmãos que estão presos pelas amarras do pecado, qual a sua reação? Ficar sentado, dizer que não tem tempo para isto agora?
Já sei, essas pessoas não são tão importantes como seu cônjuge. Pois você está vendo isto pelo lado errado. Não são essas pessoas que vão sofrer com a sua falta de ação; mas Deus que está chamando de debaixo do chuveiro, gritando que ele está em curto. É a Ele q…

Basta!

Se você tem estômago fraco ou se acha muito sensível, não prossiga com a leitura dessa postagem, vá assistir um video bem suave e volte no blog outro dia. Agora, se quer prosseguir, é por sua conta e risco e não diga que não foi avisado. Estou farto da babaquice e da criancice que aflora do chamado "meio evangélico". Todos os dias eu leio sem nenhum prazer ou alegria, alguma notícia estúpida ou vergonhosa vindo daí. Antigamente, as pessoas diziam que pra ser "crente" tinha que largar o cigarro, a bebida, não podia ir mais aos bailes, tinha que ser honesto, usar essa e aquela roupa, &tc. Pelo menos tinha um padrão! Ridículo e estereotipado, mas ainda assim um padrão, uma postura. Um testemunho. Hoje, o que eu ouço das pessoas é: "Como que alguém tão inteligente como tu, consegue ser crente?" AAAGHH! Hoje, o estereótipo é de que crentes são burros! Porque isso acontece? Simplesmente porque na maioria dos casos de hoje é a mais pura verdade! Pergunta pra um …

"Mas existem amigos mais chegados que irmãos."

É a primeira vez que escrevo de fato para o blog. E essa postagem poderia ter pelo menos mais dois títulos: "Não vos conformeis com o SISTEMA desse mundo" ou " Todas as coisas cooperam juntamente para o bem...". Mas vamos ao que interessa.Fomos na noite passada num Hipermercado. Sabem aqueles beeem grandes, grande mesmo? Algo que os americanos chamariam de big, de tão grande. Corredores intermináveis, mercadorias não muito bem expostas, atendentes esperando ansiosamente o final do turno. Um daqueles hipers com tudo informatizado que com um clique você consegue todas as informações sobre o seu cartão de fidelidade. Pelo menos é o que prometem quando te oferecem mil e uma vantagens para te "fidelizar".Combinamos com um casal de amigos, que também estaria fazendo suas compras lá, de pegarmos uma carona até em casa. E seria uma noite agradável de compartilhar a benção de sermos corpo e cooperarmos mutuamente. Mas nem todos os contos terminam com finais felize…

O pai, o filho e os cisnes negros.

Pois esta história se passou numa fazenda do interior e me foi contada por um velho Pastor lá do Nordeste.

Havia um fazendeiro muito rico que gostava muito de animais tinha em sua fazenda muitos bichos de várias espécies. Dentre eles, um casal de cisnes negros muito bonitos que fora presente de um casal de amigos. Seu filho que estudava na cidade foi passar as férias na fazenda e lá chegando foi recebido com alegria por todos. O pai lhe mostrou tudo o que tinha depois de várias horas à cavalo, voltaram de percorrer os campos. O pai então lhe mostrou suas jóias: os cisnes. Passados alguns dias, o pai foi fazer uma viagem à negócios e deixou o filho cuidando das tarefas junto com seu servo. O filho, que gostava muito de caça, pegou sua espingarda e tomou o rumo da mata. Chegando num determinado ponto, deparou-se com o lago e os cisnes nadando. Só por brincadeira resolveu fazer uma mira nos cisnes, quando sem querer seu dedo puxou o gatilho e um dos cisnes foi atingido mortalment…

Coisas que aprendi na igreja - Parte V

Como eu sempre digo, essa série tem como objetivo avaliar as más atitudes para decidir evitá-las no futuro; e não criticar ou julgar ninguém, mas admitir que temos errado como igreja em diversos aspectos. Creio que fazer isso é por em prática a exortação de Apocalipse de voltar ao ponto onde caímos e nos arrependermos.O pelotão das carolas puxa-saco de pastor descobriram que um casal de jovens da igreja estava cometendo fornicação e que a moça estava provavelmente grávida. Em menos de uma semana, o diz-que-me-disse estava solto na congregação. As famílias olhavam o casal de revesgueio, evitavam conversar com eles, cochichavam quando eles passavam e o clima começou a ficar insuportável para o casal e as respectivas famílias.A moça chorava pelos cantos e a mãe sofria com toda a difamação e vergonha a que eram submetidos por seus "irmãos em Cristo". Mas foi só o começo.A opressão das pessoas fazendo fofoca e despejando boatos e toda sorte de teorias foi tanta que o rapaz se afa…

Arrependimento

A confissão dos nossos pecados a Deus é um princípio básico para o acesso ao trono Dele. Porque quando não os confessamos, permitimos que uma barreira se forme entre nós e Deus; barreira essa que a cada dia aumenta e se curva sobre as nossas cabeças, tornando difícil a comunhão com o Senhor.Um dos principais problemas é a confissão de “boca pra fora”, ou seja, quando não nos arrependemos realmente do pecado cometido. O arrependimento não consiste apenas em não voltar a praticar aquele pecado, mas de utilizar todas as nossas forças para que mantenhamo-nos afastados dele.Recentemente eu fiquei sabendo do real significado da palavra pecado: a palavra se origina de um termo usado nas competições de arco e flecha e significa fora do alvo. Tendo isto em vista, a designação de pecado aumenta muito, pois não se trata de algo que não agrada a Deus, mas sim de tudo que está fora da vontade Dele, do seu grande plano para todos nós.Visto desse ponto, quantas coisas na sua vida são pecados? Quanta…

O plano

Assim como nós fomos planejados e aguardados com muita expectativa por Ele; também foram feitos planos para a nossa vida. Como um pai que aguarda o filho com expectativa, já planejando tudo que vai compartilhar com este filho ou filha; Deus também faz planos para quando estivermos caminhando com Ele: onde Ele vai nos levar, o que faremos juntos, o que será compartilhado.
Mas existe uma grande vantagem no plano Dele em relação a qualquer outro de pai ou mãe: este plano é perfeito e individual, não força nem frustra, é totalmente voltado para o nosso bem, sem nenhuma expectativa ou cobrança, sem imposições como um pai ou mãe terrenos podem fazer às vezes.
Mas por quê nós não conseguimos colocar este plano em prática?
O plano não é posto em prática por causa do nosso egoísmo e comodismo. Nenhum de nós deseja ser mexido, mudado, transformado. Devemos deixar o comodismo e nos engajarmos no plano de Deus para as nossas vidas.
Eu proponho uma oração:
“Pai, hoje eu quero uma transformação na minha…