Coisas que aprendi na igreja - Parte V

Como eu sempre digo, essa série tem como objetivo avaliar as más atitudes para decidir evitá-las no futuro; e não criticar ou julgar ninguém, mas admitir que temos errado como igreja em diversos aspectos. Creio que fazer isso é por em prática a exortação de Apocalipse de voltar ao ponto onde caímos e nos arrependermos.

O pelotão das carolas puxa-saco de pastor descobriram que um casal de jovens da igreja estava cometendo fornicação e que a moça estava provavelmente grávida. Em menos de uma semana, o diz-que-me-disse estava solto na congregação. As famílias olhavam o casal de revesgueio, evitavam conversar com eles, cochichavam quando eles passavam e o clima começou a ficar insuportável para o casal e as respectivas famílias.

A moça chorava pelos cantos e a mãe sofria com toda a difamação e vergonha a que eram submetidos por seus "irmãos em Cristo". Mas foi só o começo.

A opressão das pessoas fazendo fofoca e despejando boatos e toda sorte de teorias foi tanta que o rapaz se afastou da comunhão. Os meses foram passando e a barriga simplesmente não apareceu, mas a moça ficou um bom tempo cabisbaixa e frequentando as reuniões da igreja com horário de patrão: chegando depois de começar e saindo antes de acabar.

Eu até hoje acredito que ela tenha abortado. O que me faz crer nisso? A vida dela se estagnou. Era uma pessoa que não parava de falar de sonhos de Deus e vontade de Deus, de ministério e chamado, coisas que nunca se concretizaram na vida dela. Coisas que foram abortadas.

Muitas vezes, a igreja milita contra o aborto físico mas não liga a mínima para os abortos emocionais e espirituais. E os mais atingidos são os ministérios.

Ah, igreja de Jesus! Que aborta os profetas e os apóstolos e apedreja os que te são enviados com infâmia, calúnia e maledicência! Quantas vezes o Senhor quis te juntar e te restaurar, mas tu não queres e nem deixas quem quer, conseguir. Se perceberes tua casa desolada, te arrepende no pó e na cinza da podridão das tuas obras mortas e do fedor da tua adoração mesclada com carniça, vômito e fezes.

Carniça, pois tu reviras os restos do corpo de quem já está moribundo e te alimentas disso.

Vômito, pois com tua boca fazes os outros sentirem a presença da imundícia que tu consumiste.

Fezes, pois tu expele algo ainda pior do que aquilo que te alimentou, que traz à tona toda a podridão do teu interior.

Preparem-se, todos vocês, corvos, urubus e abutres que ficam sobrevoando a cabeça dos fracos, dos pequeninos. O Senhor está se levantando do Seu trono para vir executar a vingança sobre os desaforados e iníquos que acham que Ele deve ser cego ou senil. Sua paciência está se esgotando, Sua ira será despejada. Ainda dá tempo de você se arrepender. Porém, com essa sua mente cauterizada, já deve ter me improperado o suficiente para apressar a tua condenação.

Ainda assim, intercedo para que o Senhor te perdoe e te dê uma chance de experimentar o amor, esse dom supremo que para ti deve ser um ilustre desconhecido, bem como o Autor de tamanha maravilha. Pois aquele que diz que está Nele mas odeia seu irmão, mente e a Verdade não está nele. Nisto conhecemos aqueles que são de Deus, pois o amor de Deus está neles, e o próprio Deus está neles, pois Deus é amor.

10, 9, 8, 7, 6...

Corre! Teu tempo tá acabando.

Juliano Leal - MRM/MARP

Postagens mais visitadas deste blog

Pólvora em Chimango

Sacrifício Diário

Noé