28° Dia O Amor se sacrifica

Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos. - 1 João 3: 16
A vida pode ser difícil. Mas o que geralmente queremos dizer é que a nossa vida pode ser difícil. Somos os primeiros a sentir a dificuldade quando somos maltratados e perturbados. Estamos prontos a nos aborrecer quando somos os que se sentem destituídos ou depreciados. Quando a vida é difícil para nós, percebemos. Entretanto, com freqüência, a única maneira de percebermos que a vida é difícil para nosso cônjuge é quando ele começa a reclamar dela. Então, no lugar do cuidado verdadeiro ou pressa em socorrer, é provável pensarmos que ele teve uma atitude ruim. A dor e a pressão que ele está enfrentando não são sentidas por nós da mesma maneira que sentimos quando é a nossa dor e a nossa pressão. Quando queremos reclamar, esperamos que todos entendam e sintam pena de nós. Isso não acontece quando o amor está em ação. O amor não reclama pelos sinais óbvios de sofrimentos. Antes das preocupações e problemas começarem a enterrá-lo, o amor já entrou no modo de ação. Ele vê o peso começando a incomodar e intervém para ajudar. É por esta razão que o amor deseja que você seja sensível ao seu cônjuge. O amor faz sacrifícios. Ele lhe mantém tão sintonizado com as necessidades do seu cônjuge que geralmente você atende antes mesmo de ser solicitado. E quando você não nota previamente e precisa que o seu cônjuge diga o que está acontecendo, o amor age no coração do problema. Mesmo quando a aflição do seu cônjuge se revela por meio de acusações pessoais, o amor demonstra compaixão em lugar de se tornar defensivo. O amor lhe inspira a dizer "não" ao que você quer, para dizer "sim" às necessidades do seu cônjuge. Foi isso o que Jesus fez. "Ele deu a Sua vida por nós" para nos mostrar que "devemos também dar a nossa vida por outros. Ele nos ensinou que a prova do amor está em reconhecer a necessidade nos outros, e então fazer o possível para satisfazê-las. Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me acolhestes; estava nu, e me vestistes; adoeci, e me visitastes; estava na prisão e fostes ver-me" (Mateus 25:35-36). Esses são os tipos de necessidades as quais você precisa estar atento em sua esposa ou marido. Em lugar de ficar chateado porque ele (a) não lhe trata do jeito que você espera, deixe o amor lhe separar dessa auto piedade e voltar a sua atenção para a necessidade do seu cônjuge. Ele sente "fome" - precisa de você sexualmente, mesmo quando você não está a fim? Ela tem "sede" - anseia pelo tempo e pela atenção que você dá a todas as outras pessoas? Ele parece um "estranho" - inseguro no trabalho, precisando que o lar seja um refúgio e um santuário? Ela está "nua" - assustada ou envergonhada, desesperada pela proteção da afirmação do seu amor? Ele se sente "doente" - fisicamente cansado e precisando que você o afaste das perturbações? Ela se sente em uma "prisão" - temerosa e deprimida, precisando de alguma segurança e intervenção? O amor está disposto a sacrificar-se para ver que as necessidades do seu cônjuge têm o seu melhor esforço e foco. Quando sua esposa ou seu marido encontra-se oprimido (a) e sob extrema pressão, o amor lhe convida a colocar de lado o que é mais essencial em sua própria vida para ajudar, mesmo se for simplesmente a atenção em uma conversa. Geralmente, ele só precisa falar sobre o problema até que tudo seja acordado. Ele precisa ver em seus olhos atenciosos que você realmente se importa com o que isso está custando a ele, e leva a sério o fato de ajudá-lo a encontrar respostas. Ele precisa que você ore com ele sobre o que fazer, e então acompanhar a questão para ver como ela está se resolvendo. As palavras "Como posso ajudá-lo?" precisam estar na ponta de sua língua. A solução pode ser simples e fácil de fazer, ou pode ser complexa e custosa, exigindo tempo, energia e muito esforço. Em ambos os casos, você deve fazer o máximo para suprir as verdadeiras necessidades daquele que é parte de quem você é. Afinal de contas, quando você ajuda seu cônjuge, você também está se ajudando. Essa é a parte bela de se sacrificar pelo seu cônjuge. Jesus fez isso por nós e Ele estende a Sua graça para fazermos o mesmo pelos outros. Quando os cristãos do Novo Testamento começaram a caminhar em amor, a vida de todos eles foi marcada por comunhão e sacrifício. As batidas de seus corações eram para adorar ao Senhor e servir Seu povo. "Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um" (Atos 2:44- 5). Como Paulo disse à uma dessas igrejas uma década mais tarde, "Eu de muito boa vontade gastarei, e me deixarei gastar pelas vossas almas" (2 Coríntios 12: 15). As vidas que foram ressuscitadas da morte pelo sacrifício de Jesus devem estar prontas e dispostas a se sacrificarem diariamente para suprir as necessidades dos outros.

» Desafio de hoje » Qual é a maior necessidade do seu cônjuge nesse momento? Existe alguma necessidade que você pode suprir hoje através de um ato corajoso de sacrifício da sua parte? Independente da necessidade, ser grande ou pequena. Proponha-se a fazer o que você puder para suprira necessidade.

Trecho do livro Desafio de amar
Editora palavra da fé
--
Geibson Lehugeur - MARP/MRM

Postagens mais visitadas deste blog

Pólvora em Chimango

Sacrifício Diário

Noé