Grinch - Ele existe e tem um perto de você!

Dezembro chegou. O feriado do dia 25 se aproxima. Junto com ele uma figura folclórica reaparece: O Grinch.
Para quem não conhece ou nunca viu nem o filme com Jim Carrey sobre esta criatura, o Grinch é um personagem criado por Dr. Seuss num livro de 1957 chamado "Como o Grinch roubou o Natal"(tradução literal), cuja estória narra a aventura do verdinho mau humorado tentando destruir o Natal. O livro termina com o Grinch praticamente se convertendo e tem um enorme fundo moral.

Acontece, que o personagem de Seuss não é um mero bicho feio ou lenda urbana. Ele existe! E com o advento das redes sociais ele não está mais sozinho. Casou, teve filhos e seus gens estão se proliferando como uma praga no mundo 2.0.

Os Grinches de hoje nem sempre são verdes. Ultimamente eles tem mudado de cor cada vez mais. Mas apesar de a aparência os camuflar entre as pessoas comuns, basta que um deles comece a falar para descobrirmos que se trata de um. Aquilo que enche o coração dos Grinches transborda: ódio, rancor, tristeza, presunção, arrogância, malícia e todo o tipo de sentimento ligado a esses. Uma verdadeira lástima. Se eles guardassem isso para si, seria triste mas pelo menos restringiria essa lama a uma pequena poça. Mas infelizmente isso não é o que eles querem, pois precisam contaminar o mundo com sua doença.

Os grinches tem aparecido em vários feriados, mas o preferido deles é sem dúvida o Natal. E eles fazem uma maldade proposital. Eles sabem que muitas pessoas ficam sensíveis nessa época, mais emotivas, com saudade da família e/ou amigos. E é justamente quando estão assim que as pessoas se magoam mais.

Você ainda não consegue identificá-los? Vou explicar mais algumas coisas e depois não só mostrar quem eles são, mas também como eles agem e porque fazem isso. E o melhor, como combatê-los!

Natal não é a única celebração religiosa desse mês. Também acontece o Hannukah, comemorado pelos Judeus e o Yule, comemorado pelos Pagãos (Wiccanos, por exemplo). E ainda existem os que comemoram a Festa do Papai Noel, totalmente desprovidos de qualquer conotação religiosa. E aqui voltamos ao Grinch. As vítimas preferidas dele são os religiosos, mas eventualmente qualquer pessoa que pense diferente deles acaba sendo sua vítima.

Agora vamos às características dos Grinches 2.0:

  • Sempre ou quase sempre são religiosos fanáticos, ligados a alguma seita reformadora do universo, que tentam com todas as forças provar que tem uma verdade melhor que a Verdade, e se consideram absolutos.
  • Não sabem criticar, só xingam, rotulam, debocham e diminuem o que é diferente.
  • Não argumentam no debate, apenas refutam a opinião alheia com base nos conceitos exclusivos do seu próprio mundo.
  • Vivem numa realidade à parte onde só os Grinches são permitidos.
  • São camaleões. Quando confrontados dissimulam, disfarçam, trocam o discurso, mas não é com o objetivo de desenvolver uma amizade ou assumir uma falha, é só pretexto para encerrar o assunto e sair por cima com aparência de humilde.
  • Quando você conversa com um deles sem compartilhar da contaminação, eles te deprimem, te magoam ou te irritam em poucos segundos.
Alguns exemplos de Grinches estão se proliferando principalmente no Facebook e no Twitter. As publicações deles vem carregadas de discriminação e incitação ao ódio. Esses dias, vi um comentário de um deles no Facebook que dizia: "O Natal é uma Abominação." Creio que para um comemorador do Natal isso vai doer nos ouvidos. Vai ofender. Vai causar contenda. Vai provocar uma reação em cadeia que a História nos mostra onde vai dar. Soldados entraram em guerra porque poderosos entraram em conflitos...

Aí, esses cavaleiros da verdade absoluta, engrossam as estatísticas e argumentos dos Ateístas de que a religião é o maior motivo por trás de todas as guerras e consequentemente, por trás da maior parte das mazelas da humanidade. E eles juram de pés juntos que o objetivo deles é "edificar vidas". Sério?

Seguem-se comentários pejorativos, argumentos que criticam a religião dos outros, uma verdadeira vergonha. Se ficasse no bate-boca religioso, a eterna queda de braço atrás da verdade, até que não seria novidade. Mas quando se trata de um Grinch, ah amiguinhos, a discriminação rola solta. O senso de limites deles é nulo. Eles falam o que querem e exigem respeito, mas não toleram réplicas. Um Grinch chamou o Mitraísmo de aberração no Facebook, e apesar de eu não conhecer ninguém que pratique isso assumidamente (porque tem muita gente que pratica sem saber, mas já é outra história), seguindo o raciocínio de Jesus em Mateus 7:12, seria natural esperar que o mitraísta me xingasse de aberração também. Eu ficaria feliz com isso? Agradeceria sorrindo? Certamente que não.

Falta nos Grinches uma coisa que é tópico fixo por aqui: ÉTICA. Um dos nomes dela é respeito. Mas o conceito de ética é basicamente o que está no versículo acima. É um equilíbrio no comportamento visando o bem estar em sociedade. Muitas vezes aqui mesmo no BRP fiz duras críticas a sistemas doutrinários e instituições, a líderes e igrejas, movimentos e práticas sociopolíticas. Entretanto, todas as vezes deixei claro que era minha opinião, baseada na minha visão e interpretação da Bíblia (o que os Grinches fazem muito) mas sempre deixei claro que ninguém é obrigado a fazer isso.

Depois, o fato de me expressar dessa forma num blog, é diferente de expressar isso numa rede social. Ou seja, eu posso expressar minha opinião, por pior que seja, no meu próprio ambiente. Seja ele real (casa, igreja, trabalho) ou virtual (blog, rede social, site). Contudo, não posso invadir a privacidade do outro. Se um conteúdo publicado me ofende, eu posso fazer várias coisas. Posso simplesmente me afastar, posso denunciar se for algo publicamente reconhecido como ofensivo, posso falar com quem colocou, mas sem ser agressivo ou ofensivo, e se escolher ser, preciso estar ciente dos resultados e arcar com eles de bom grado.

Quando critiquei o Edir Macedo, quando comparei líderes evangélicos com comensais da morte e etc, não estava denegrindo eles. Na verdade, estava levantando um questionamento contra a hipocrisia dessas pessoas, pois estavam exatamente iguais àquilo que combatem, logo deveriam investir mais tempo em se reavaliar do que em criticar essa ou aquela religião. Lembra da frase de Jesus sobre ciscos e traves? Eu estava provocando uma questão contra pessoas que CREEM NA MESMA COISA QUE EU, ou pelo menos afirmam isso.

Os grinches 2.0, criticam os outros credos com base no deles e na interpretação que eles tem da escritura. Isso é quase crime de discriminação religiosa!

Pra ver até aonde vai o ridículo, algumas pessoas estão em franca campanha contra o natal porque é pagão. E aí, alguns grupos que nem se consideram cristãos ficam criticando as pessoas que se consideram cristãs e as reprovando, xingando e acusando. Eles nem fazem parte daquele grupo, não tem nenhum compromisso com ele e provocam. Testemunhas de Jeová não comemoram o Natal, então eles estão certos? Para o grinch, não. Nem os budistas, nem os muçulmanos. Mas ué, o errado não era o Natal? Pela lógica todos esses estão livres da abominação do Natal, mas infelizmente, o grinch não é nada lógico. Nem ético.

Eu não comemoro o Natal. Comemoro o Nascimento de Jesus na Festa dos Tabernáculos, mas isso não me dá o direito de encher o saco de quem comemora o Natal!!! Se uma pessoa quiser as informações que eu tenho, quiser saber meus motivos, etc, ela pode conversar comigo numa boa, sem pejorativos, pode ler o BRP, e melhor de tudo pode se tornar um amigo(a).

No meu status no Facebook, publico opiniões e informações, se ofende quem quer. Mas eu não vou no perfil alheio xingar o cara, da mesma maneira que em casa eu tenho o que eu escolho, e não invado a casa dos outros mudando tudo de lugar!!!

Não existe nenhum erro em estar posicionado quanto ao quê se crê. Não existe nenhum erro também em parabenizar alguém por seu posicionamento. Os extremistas existem em todas as crenças e tudo que obtém é violência, discórdia, ofensa e polêmica.

Meu conselho para afastar os grinches é que você aplique Mateus 7:12 neles. Faça o que você gostaria que fizessem com você. Se não adiantar, vá orar a respeito. Algumas pessoas nasceram para trollar nas redes sociais, e de tanto fazer isso os grinches acabam encontrando um troll cedo ou tarde. Talvez sentindo na pele algo mude. Ou não.

Mas a todos vocês que leem o BRP e querem aproveitar as festas de fim de ano com a família, eu desejo os mais sinceros votos de paz, alegria, amor e respeito.
Ame incondicionalmente, perdoe, abrace, sorria, namore, voe, mergulhe, coma bem, leia livros bons, ouça música, vá ao cinema, leia a Bíblia, ore, medite, beije muito, viaje, faça sexo, cozinhe, plante uma árvore, cuide de um bichinho, visite um asilo, doe um agasalho, pare na faixa, obedeça as leis, cuide da natureza, cuide de você.

Ame o seu semelhante como você se ama! Viva sua vida sendo alguém que acrescenta vida ao mundo e traz virtude ao seu próximo.

Viva com liberdade. Aja com ética.

Que o Senhor abençoe a todos e que as festas sejam boas! Pois Ele ama a todos. Até os grinches.

Uma grande festa se esconde num abraço cheio de amor e respeito.

Sintan-se abraçados.

Juliano G. Leal - MRM/MARP

Postagens mais visitadas deste blog

Pólvora em Chimango

Sacrifício Diário

Noé