Ano Novo. Vamos ousar um pouco?

Qual visão faz seu momento ser especial?
Quando lemos na Palavra a instituição do Ano Novo Israelita, ele é estabelecido por um motivo extremamente forte: a libertação do povo. No texto de Êxodo 12, o Senhor fala a Moisés e Arão que este deveria ser o primeiro mês do ano pra eles e estabelece em seguida a principal festa Israelita, a Páscoa.
Não vou pormenorizar a Páscoa aqui, apenas ressaltar que o mês que se tornou o primeiro foi recheado de significado para o povo e se tornou um momento de grande alegria.
Não se tornou especial por ser um novo começo comum já estabelecido no calendário, se tornou um marco de um novo tempo e inaugurou um novo calendário por ser especial!

Herdamos em nossa cultura o costume de comemorar o Ano Novo dos europeus, em Janeiro. Também não vou pormenorizar as origens do costume, pois os blogs com espírito de Grinch já estão fazendo isso pra poder falar mal da festa, e se você realmente quiser saber, as enciclopédias estão às ordens. Hoje não é estudo bíblico, é reflexão, hehe.

Mas enfim, tem gente pregando que é errado comemorar o Ano Novo. E eu concordo. Em parte, mas concordo.

Se for pra comemorar deste mesmo jeito de sempre, com bebedeira, comilança, festa só pela festa, tá errado mesmo. Não é especial, é só alegre e festivo.

Há algo errado em ser alegre e festivo? Não. Mas não precisamos nos iludir, achando que isso vai fazer a festa se tornar especial, ou que ela é especial por si só, porque não é.

Agora, se realmente refletirmos sobre tudo que estamos deixando para trás enquanto fazemos questão de demarcar o encerramento de um siclo, se escolhemos aproveitar essa oportunidade para nos aproximarmos das pessoas que amamos, se escolhemos ter um tempo para amadurecer ideias e projetos e traçar metas para o novo período que se inicia, aí estamos recheando a festa de significado e tornando-a especial.

Ou seja, a festa só é especial por nossa causa. Nós faremos com que a festa seja especial ou não!

E se acima de tudo, decidirmos colocar o Senhor Jesus no centro desta festa, se o desejo por manifestar uns aos outros as atitudes do Messias for nosso foco principal, a festa não será apenas especial, ela também será sagrada! E do jeito correto.

Nessa visão, nessa postura, nesse propósito e nesse clima, eu desejo a todos os leitores do BRP uma excelente, especial e sagrada festa de Ano Novo e um abençoado e frutífero 2013.

Vamos ousar, e fazer a presença de Jesus ser notada através de nós nesse novo siclo que se inicia!

No amor do Messias,

Juliano G. Leal
MARP/MRM

Postagens mais visitadas deste blog

Pólvora em Chimango

Sacrifício Diário

Noé